Alto da XV permanece no topo do ranking dos bairros mais caros para venda de Curitiba

Andreza Rossini e Assessoria


Os preços para venda e  para locação de Curitiba apresentaram elevação no último ano: 0,1% e 4,4%, respectivamente.

Os dados são do levantamento mensal elaborado pelo Imovelweb, um dos portais do mercado imobiliário do Brasil, que avaliou os preços do metro quadrado e dos aluguéis, além da rentabilidade, de apartamentos localizados na região.

No período, o valor médio para venda em Curitiba ficou em R$ 4.623,00/m2. Alto da XV (Matriz) continuou em destaque nesse mês, com o preço do metro quadrado mais valorizado da cidade, R$ 7.674,00. Este é o quinto mês consecutivo que o preço dos imóveis no município segue em crescimento. Os bairros que registraram maior variação anual foram Mossunguê (18,4%), Pilarzinho (9,6%) e Portão (9,1%). Os mais desvalorizados foram Champagnat (15,5%), Ahú (10,6%) e Alto da XV (10,2%).

Confira agora o ranking dos bairros mais caros e mais baratos, pelo valor do metro quadrado, para venda em Curitiba:

Mais caros 

  • Alto da XV – R$ 7.674,00
  • Juvevê – R$ 7.342,00
  • Alto da Glória – R$ 7.335,00

 Mais baratos

  • Cachoeira – R$ 2.906,00
  • Campo de Santana – R$ 2.809,00
  • Tatuquara – R$ 2.770,00

O estudo também apontou que o valor médio para locação de um apartamento de dois dormitórios, 65m², com uma vaga de garagem em Curitiba, ficou em R$ 994,00 mensais.

Desde março de 2017, os preços dos aluguéis na cidade vêm apresentando crescimento sucessivo, sendo que 70% dos bairros tiveram aumento no último ano neste quesito. Com maior variação anual, se destacaram Ahú (19,7%), Xaxim (19,3%) e Vila Izabel (17,3%). Em contrapartida, os bairros mais desvalorizados foram Seminário (24,2%), Guabirotuba (14,6%) e Prado Velho (13,5%).

A seguir, o ranking dos bairros mais caros e baratos para locação em Curitiba, por preço mensal:

Mais caros:

  • Prado Velho – R$ 2.019,00
  • Ecoville – R$ 1.630,00
  • Mossunguê – R$ 1.588,00

Mais baratos: 

  • Parolin – R$ 744,00
  • Campo de Santana – R$ 712,00
  • Tarumã – R$ 665,00

Já a rentabilidade dos imóveis da capital paranaense permaneceu em 4,3% ao ano.

Portanto, são necessários 23,4 anos de aluguel para recuperar o gasto com a compra, tempo 4,4% menor do que há um ano. “A operação de compra de um apartamento em Curitiba no período (aluguel durante 12 meses e venda do imóvel em julho de 2018) obteve um retorno bruto de 4,5%. Percentual acima da inflação, mas abaixo do retorno da Poupança”, destaca Leonardo Paz, CEO do Imovelweb.

Conheça o ranking dos bairros mais e menos atrativos para investir:

Mais rentáveis 

  • Mossunguê – 6,7%
  • Prado Velho – 5,9%
  • São Braz – 5,3%

Menos rentáveis

  • Seminário – 3,1%
  • Tarumã/Jardim Botânico – 2,8%
  • São Lourenço – 2,6%

“O cenário em Curitiba é bastante favorável para quem deseja investir em um imóvel. Embora os valores do metro quadrado venham apresentando elevações nos últimos 12 meses, este movimento é bastante discreto e vêm ficando abaixo da inflação. Os preços amigáveis, aliados à retomada da economia e ao retorno do crédito ao mercado, fazem com que a tendência permaneça promissora na região”, reitera Paz.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="549176" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]