Após uma semana de quedas, dólar volta a valorizar

Mariana Ohde


Confira o boletim de abertura de mercado desta sexta-feira (12), com o superintendente regional de câmbio da SLW, João Paulo de Gracia Corrêa:

O dólar teve mais uma sessão volátil ontem, especialmente no mercado de câmbio internacional. A moeda americana iniciou o dia valorizada ante a maioria das divisas fortes e emergentes. Entretanto, após o ministro de Energia da Arábia sinalizar que a reunião da OPEP em setembro poderá incluir uma ação para elevar o preço do barril de petróleo, a commoditie subiu mais de 4% no final da manhã. Com isso, a moeda dos Estados Unidos reverteu sua trajetória e passou a desvalorizar ante outras divisas. Aqui, em um movimento solo, o dólar operou descolado do exterior e sob a influência do aumento de 50% dos contratos de swap cambial reverso no leilão do Banco Central. A mudança de estratégia do BC não significa uma mudança de tendência, porém serviu para limitar a valorização do real. Com isso o dólar fechou o pregão desta quinta-feira em alta de 0,29%, cotado em R$ 3,1385.

Hoje, as principais bolsas europeias operam em queda, refletindo os indicadores econômicos da China em julho, como produção industrial e vendas no varejo abaixo do esperado e desacelerando ante o mês de junho. Os futuros americanos exibem leves altas, aguardando uma bateria de indicadores dos Estados Unidos a serem divulgados nesta manhã. O preço do barril de petróleo segue volátil, ora positivo, ora negativo, ainda sem uma tendência definida. O dólar perde para o euro, libra e franco suíço, ganha do peso mexicano, rand sul-africano e dólar australiano.

Internamente, além de monitorar o exterior, os agentes domésticos devem digerir as declarações do presidente em exercício, Michel Temer, ao jornal Valor Econômico, de que a apreciação da taxa de câmbio é uma preocupação, mas a orientação é buscar um equilíbrio. Ele previu que a proposta de reforma da Previdência será uma luta feroz a ser enfrentada e que o projeto será enviado ao Congresso antes das eleições municipais. Com o BC mantendo o leilão de swap cambial reverso em 15 mil contratos, as declarações de Temer sobre o câmbio e a alta do dólar ante a maioria das moedas emergentes, com dados mais fracos da economia chinesa, a divisa dos Estados Unidos deve seguir e alta no pregão de hoje.

Acompanhe os dados do mercado em www.slw.com.br

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="378432" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]