Bares e restaurantes de Curitiba fazem campanha para redução de impostos de bebidas

BandNews FM Curitiba

A alta carga tributária de vinhos e destilados tem provocado o fechamento de bares e lojas de bebidas em Curitiba. O Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares de Curitiba – o Sindiabrabar, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná, Abrasel – PR e Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba, a Ascesme, estão se articulando para tentar reduzir os impostos sobre esse tipo de produto. Uma das medidas tem sido discutir o assunto com autoridades governamentais. Os impostos estaduais que incidem sobre os vinhos são de 43,03%; para os destilados, a alíquota é de 61,38%.

De acordo com um levantamento feito pelo Sindiabrabar, 70% dos vinhos e destilados consumidos em festas e eventos de Curitiba não têm tributação e procedência garantida. Para o empresário Marcos Almeida, dirigente do sindicato, a situação está insustentável e sobreviver no setor, quase impossível. “Antes eram mais de cem lojas, hoje são 20. Eu mesmo fechei uma”, afirmou.

Os empresários do setor avaliam que a alta carga tributária está contribuindo com o aumento do contrabando de vinhos e bebidas, em especial do Paraguai, Argentina e de outros estados brasileiros como Santa Catarina, São Paulo e Goiás. Almeida diz que nesses lugares a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços é menor que no Paraná.

“O imposto é muito pesado e as pessoas compram de outros lugares. Os empresários que pagam impostos sofrem, donos de lojas, bares e restaurantes. Alguma coisa tem que mudar porque está muito difícil para trabalhar”, disse.


No mês passado, os representantes do Sindiabrabar, Abrasel e Ascesme se reuniram com o secretário da Fazenda do Paraná, José Luiz Bovo, para pedir uma redução dos impostos sobre vinhos e destilados. A assessoria de imprensa do secretário informa que a demanda vai ser analisada tecnicamente, mas não tem um prazo para que isso aconteça.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook