Black Friday deve movimentar R$ 130 milhões no comércio do Paraná

Andreza Rossini


A previsão de compras a serem realizadas nesta sexta-feira (24), durante as promoções da Black Friday no Paraná, chega a R$ 130 milhões, de acordo com a estimativa gerada a partir do histórico das edições anteriores e no tráfego do portal BlackFriday.com.br, idealizador da ação no Brasil.

Para evitar casos de fraude nas compras online, o Procon divulgou uma lista de sites que devem ser evitados pelos consumidores.  A “lista negra” aponta 518 lojas virtuais, que tiveram reclamações de consumidores, foram notificadas, mas não responderam ou não foram encontradas.

A pesquisa sobre a variação dos preços, também é necessária, de acordo com o órgão. “Em outros Procons pelo Brasil, não são poucos os relatos e constatação da prática de maquiagem de preços, ou seja, as empresas aumentam previamente o valor dos produtos para oferecer descontos no momento da realização da promoção”, orienta a diretora Cláudia Silvano.

“É necessário também observar se nos sites constam todos os dados do fornecedor e desconfiar se apenas for informado um telefone celular para contato. O fornecedor deve ter CNPJ e é possível verificá-lo no site da Receita Federal”, afirma a nota divulgada.

O Procon recomenda o acompanhamento dos preços por pesquisa prévia e frequente dos produtos e, além disso, checar se o site é brasileiro para evitar lidar com Código do Consumidor de outros países.

Em Maringá, os lojistas estão otimistas com as vendas. O gerente da Casas Bahia, Isaac Reded, calcula que o faturamento deve triplicar com os descontos ofertados pela rede durante a campanha. “Os itens mais procurados, geralmente, são os de telefonia. Em seguida aparecem TVs e produtos de informática”, afirmou o gerente ao Metro Maringá.

O evento chegou ao Brasil em 2010, por iniciativa de uma empresa especializada em descontos na Internet. A primeira Black Friday no Brasil foi totalmente online. As promoções acontecem anualmente na quarta sexta-feira de novembro, sendo realizada agora também em lojas físicas.

Caso o consumidor sinta-se prejudicado, pode denunciar ao Procon através do número: 0800 41 1512.

Previous ArticleNext Article