BNDES amplia limite de crédito da Fomento Paraná para R$ 150 mi

Os repasses para a Fomento Paraná incluem desde operações de microcrédito ao financiamento de projetos de até R$ 17 milhões.

Redação - 12 de maio de 2022, 10:42

Foto: Geraldo Bubniak/AEN
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ampliou para R$ 150,4 milhões o limite de crédito da Fomento Paraná para repasse de recursos às micro e pequenas empresas paranaenses.

O novo limite é válido para o período de abril de 2022 a abril de 2023 conforme o banco, que é a principal fonte de recursos de longo prazo para financiamento de empreendimentos no país.

Os repasses para a Fomento Paraná incluem desde as operações de microcrédito, que atendem empreendedores informais e microempresas, limitadas a R$ 20 mil, até empresas de pequeno e médio porte, que podem financiar projetos de até R$ 17 milhões, de acordo com a política de crédito da instituição.

Para o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves, esse aumento de limites é um sinal de confiança no trabalho da instituição. “A Fomento Paraná vem fazendo um grande esforço para ampliar as parcerias e ampliar a presença no Estado colocando cada vez mais crédito à disposição dos empreendedores. Essa sinalização de limites do BNDES é importante para os projetos de nossos parceiros e potenciais clientes”, afirma Neves.

Fontes alternativas de recursos

Além dos novos limites do BNDES, a Fomento Paraná busca fontes alternativas para captação de recursos para atender às necessidades das empresas paranaenses neste momento em que começa a tomar corpo a retomada da atividade econômica pós-pandemia.

O Conselho de Administração (CAD) da instituição aprovou nesta terça-feira (10) a contratação da primeira captação internacional para a Fomento Paraná. São até US$ 50 milhões (cerca de R$ 256 milhões) de uma abertura de crédito do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), destinados a empréstimos e financiamentos de empreendimentos do Setor Privado.

A negociação entre as entidades para esta captação vem se desenrolando desde 2019. O projeto envolveu colaboradores das áreas de Planejamento Estratégico, Financeiro, Contabilidade, Riscos e Compliance e das diretorias Jurídica, Operações do Setor Privado, Mercado e Administrativa e Financeira.

O contrato deve ser assinado ainda em maio, permitindo a recepção da primeira tranche de recursos, de US$ 3 milhões (R$ 15 milhões), que serão destinados inicialmente a operações de microcrédito.

A instituição financeira também captou recentemente um repasse da Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 11 milhões, e outros R$ 10 milhões do BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul. Nos dois casos os recursos são direcionados a operações de microcrédito, nas linhas do Banco da Mulher Paranaense e Banco do Empreendedor.