BRDE Labs oferta soluções inovadoras para empresas do Sul

O programa BRDE Labs do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul tem permitido a união de empresas e startups para acelerar o desenvolvimento do Paraná.

Redação - 21 de janeiro de 2022, 09:35

Divulgação/BRDE
Divulgação/BRDE

O programa BRDE Labs do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul tem permitido a união de empresas e startups para acelerar o desenvolvimento do Paraná, em especial pela inovação aberta - modelo de gestão considerado como tendência.

A cada ano o programa apresenta um tema central que orienta as escolhas de empresas e startups. Em 2021, o foco foi a indústria do Paraná e até o momento dois contratos já foram assinados e outros sete estão em negociação.

“O objetivo desse modelo é promover a colaboração com pessoas e organizações externas à empresa, expandindo os horizontes dos negócios, assim como propõe o BRDE Labs”, explicou o presidente do BRDE, Wilson Bley Lipski.

Um exemplo de sucesso do programa é startup Specrux. Incubada na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) e voltada para a área de monitoramento e processamento de dados, a Specrux trabalhou com a empresa âncora Enaex, do setor de explosivos e fragmentação de rocha.

“Além de todas as mentorias que o programa nos forneceu gratuitamente, o contato com a Enaex foi um casamento perfeito: eles tinham problemas complexos, nós tínhamos vontade e técnica para resolvê-los”, contou Conrado Chiarello, cientista de dados da Specrux. 

Com a Enaex, a Specrux aplicou a tecnologia de monitoramento para analisar o nível de explosivos em diversos tanques.

“A tecnologia já está validada e agora a gente precisa estabilizar um projeto padrão para digitalizar todos os nossos tanques estacionários, é isso que estamos fazendo”, pontuou Antoine Moreau, líder de Inovação na Enaex Brasil.

O BRDE Labs conseguiu em 2021 a marca de 177 startups inscritas, com 18 passando para a fase de pré-aceleração e nove, pela de aceleração.

Outro impacto positivo do programa foi na formação de profissionais, sendo que no ano passado foram realizadas 54 horas de treinamento, mais de 150 pessoas formadas e mais de 20 horas de conteúdos conduzidos por 27 palestrantes e transmitidos por lives que tiveram mais de 4 mil espectadores.

Parceira do BRDE Labs em 2021, a aceleradora da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná), Hotmilk, destacou o trabalho em conjunto realizado no último ano.

“É através da empresa aceleradora que empreendedores buscam parceria para validar e desenvolver seus negócios. Contando com um ecossistema repleto de diversidade e apoio, as empresas aceleradoras são verdadeiros motores de inovação”, analisou João Paulo Moreira, head de Open Innovation da Hotmilk. 

O BRDE já definiu que em 2022 o foco do BRDE Labs será o ESG - Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em português), um dos principais focos corporativos atualmente.

LEIA MAIS: Teto do INSS vai para mais de R$ 7 mil, após reajuste de 10,16%