BRDE lidera ranking de financiamentos com recursos do BNDES no Sul

Plantao Agronegocio


O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE chega ao final de 2017 mantendo a condição de primeiro no ranking das 41 instituições credenciadas do BNDES para operações de crédito através de seus recursos na Região Sul.

As informações do BNDES demonstram que o BRDE desembolsou, até o mês de novembro, mais de R$ 2 bilhões, em 4.840 operações de crédito para empreendedores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. O segundo colocado desembolsou R$ 1,5 bilhão.

Os dados do ranking no Sul destacam o Bradesco na operação com o produto CARTÃO-BNDES, o Santander e o Itaú em operações de capital de  giro e o Sicredi em financiamento para pessoas físicas.

Já a liderança do BRDE se destaca pelo volume da atuação creditícia do Banco em financiamentos a projetos de investimentos. “São projetos com um aspecto especialmente importante para a  recuperação de economia do Sul e do país por gerar emprego, renda e tributos”, afirma o presidente do Banco, Orlando Pessuti.

Para o diretor Financeiro do BRDE, Odacir Klein, “o Banco tem atuado para manter, mesmo no prolongado período de retração econômica, o crédito necessário ao fomento da atividade produtiva de grandes e pequenos empreendedores, em todos os setores”.

Quando se trata do ranking das 53 instituições que operaram recursos do BNDES considerando o Brasil todo, de janeiro a novembro de 2017, o BRDE ocupa a sexta posição, embora atue em apenas três estados.

Mais e melhor

O BRDE está presente em 91 % dos municípios do Sul, com R$ 17 bilhões em ativos, dos quais R$ 5,7 bilhões no Paraná. “Chegamos ao final de 2017 com saldo positivo, apesar do cenário econômico desfavorável e a queda de 20% nos desembolsos do BNDES, de janeiro a novembro, em relação ao mesmo período de 2016”, avalia Pessuti. “O BRDE está preparado para fazer mais e melhor em 2018, focado no compromisso de manter o Banco como instituição-líder no fomento ao desenvolvimento sustentável da Região Sul”, acrescenta o presidente do Banco. “Para isso, temos buscado novos fundings, inclusive recursos internacionais”.

Orlando Pessuti destaca também o projeto que o BRDE pretende apresentar à Presidência da República para criação de um fundo orçamentário, o Fundo Sul, que utilizaria recursos oriundos das sobras não  utilizadas de fundos já existentes em outras regiões. O Banco seria o agente financeiro do Fundo Sul.

Previous ArticleNext Article