Carne bovina está entre os quatro principais produtos industriais do país

Mariana Ohde


Entre os 3.450 produtos investigados pela Pesquisa Industrial Anual – Produto (PIA Produto) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os quatro principais – carnes de bovinos frescas ou refrigeradas, óleo diesel, automóveis de 1500 a 3000 cilindradas e óleos brutos de petróleo – geraram 9,9% da receita das vendas industriais em 2015, que foi de R$ 2,16 trilhões.

Foram produzidas 1,6 milhões de toneladas de carnes bovinas congeladas, no valor US$ 14,2 milhões. Foram vendidas 1,3 milhões de toneladas no período, que somam US$ 10,7 milhões. Em relação à carne bovina fresca ou refrigerada, foram 6,7 milhões de toneladas (US$ 52,2 milhões) em produção e, em vendas, 6,3 milhões de toneladas, ou US$ 49,1 milhões.

Óleo Diesel é o principal produto

O óleo diesel, principal produto industrial do país, também lidera nas regiões Nordeste, Sudeste e Sul. Na Região Norte, minérios de ferro e televisores lideram, enquanto na Região Centro-Oeste carnes de bovinos, farelos de soja e etanol são os principais produtos.

Veja aqui a publicação da PIA Produto 2014.

Ranking total

A PIA Produto 2015 traz informações sobre as vendas de 3.450 produtos das cerca de 36 mil empresas industriais com 30 ou mais pessoas ocupadas e suas cerca de 55 mil unidades locais. O valor total de vendas desses produtos chegou a R$ 2,16 trilhões em 2015, e os setores com as maiores participações nessas vendas industriais foram: produtos alimentícios (16,9%), coque, derivados do petróleo e biocombustíveis (10,6%), produtos químicos (10,5%), veículos automotores, reboques e carrocerias (8,7%) e metalurgia (6,3%).

No ranking do total de vendas de 2015 (tabela abaixo), o óleo diesel manteve a liderança, com R$ 79,9 bilhões e participação de 3,7% no total, com carnes de bovinos frescas ou refrigeradas (R$ 49,1 bilhões e 2,3%) a seguir. Os quatro primeiros produtos desse ranking tiveram uma participação de 9,9% no valor de vendas industriais em 2015.

Em relação a 2014, os ramos industriais que mais perderam participação no total de vendas foram veículos automotores, reboques e carrocerias (-1,8 pontos percentuais), máquinas e equipamentos (-0,6 p.p.) e extração de minerais metálicos (-0,6 p.p.). Já os setores que aumentaram participação no período foram: produtos alimentícios (1,6 pontos percentuais), produtos químicos (0,7 p.p.) e coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (0,3 p.p.).

Máquinas perdem participação

Os 100 produtos industriais líderes em valor de vendas tiveram, em 2015, uma receita de R$ 1,12 trilhão ou 52,0% da receita total das empresas industriais com 30 ou mais pessoas ocupadas. Entre esses 100 produtos, os que mais ganharam posições no ranking, em relação a 2014, foram: artigos de plástico para embalagem, que passou da 124ª para a 86ª colocação; ligas de alumínio em formas brutas (de 129ª para 98ª); tubos flexíveis e tubos trefilados de ferro e aço (da 130ª para a 100ª); e chapas e tiras, de alumínio, de espessura superior a 0,2mm, que foi da 87ª para a 64ª (tabela abaixo).

Já os quatro produtos que mais perderam posições desde 2014 foram: caminhão-trator (cavalo mecânico), para reboques e semirreboques (da 31ª para a 79ª posição); veículos para o transporte de mercadorias (camionetas, furgões, pick-ups, etc.) (da 29ª para a 61ª posição); tratores agrícolas, inclusive motocultores (da 57ª para a 81ª posição) e tubos, canos e perfis ocos de aço, com costura (da 65ª para a 88ª).

 

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal