Carteira de crédito do Paraná Banco bate recorde no segundo trimestre de 2021

Redação


A carteira de crédito do Paraná Banco bateu recorde no segundo trimestre de 2021. De acordo com o Valor Investe e Valor PRO, a volta da margem de 35% no consignado ajudou a instituição a atingir R$ 5,793 bilhões na carteira total entre abril e junho de 2021. Foi uma alta de 2,8% na comparação trimestral e de 19,7% em 12 meses.

Leia abaixo o material produzido pela jornalista Fernanda Bompan para o site de investimentos do Valor Econômico!

A maior parte (99,6%) dessa carteira é formada pelo crédito consignado e o restante no run-off de crédito empresarial e home equity, somando R$ 23,7 milhões em junho de 2021.  O segmento consignado apresentou um crescimento de 20,1% na comparação anual e de 2,9% na comparação trimestral, somando R$ 5,769 bilhões.

Um pouco mais de 80% da carteira de crédito consignado do Paraná Banco está relacionada ao governo federal, sendo 69% do INSS e 10,6% de convênios federais, para complementar, os convênios estaduais e municipais representaram 10,5% e 10%, respectivamente.

A transformação digital iniciada pela instituição em 2017 também favoreceu a originação do crédito. A solução digital permite a contratação da operação totalmente online de ponta a ponta. Mas foi a forma tradicional, aliada a ferramenta digital, que ganhou destaque no segundo trimestre. Dos R$ 2,387 bilhões produzidos no período, R$ 1,910 bilhão foram no canal físico e R$ 476 milhões no digital.

De acordo com o Paraná Banco, a originação classificada como canal físico está composta de clientes que optaram por contratar o crédito presencialmente através de um dos pontos físicos ou negociar com ajuda de um dos nossos consultores utilizando a ferramenta digital. Maior parte dessas formalizações já são realizadas digitalmente.

Impactado pelos custos dessa produção, o lucro líquido da instituição somou R$ 43,5 milhões no segundo trimestre, redução de 15% em relação ao primeiro trimestre, mas aumento de 173,6% em um ano. O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE) atingiu 14% em junho, redução de 3,4 pontos na comparação trimestral e incremento de 8,5 pontos percentuais em 12 meses.

As despesas operacionais atingiram R$ 101 milhões, aumento de 8,7% em relação ao primeiro trimestre. Somente nos gastos com comissão – em outros dispêndios administrativos – , a alta trimestral foi de 40% para R$ 19 milhões. Em relação a igual período do ano passado, os gastos operacionais totais reduziram 17,9%, explicada, assim, pela menor originação.

O total de receitas no período foi de R$ 212,7 milhões, um crescimento de 30,1% e redução de 6,5% em relação ao segundo trimestre de 2020 e o primeiro deste ano, respectivamente. Nesse contexto, o índice de eficiência (excluindo provisões contra devedores duvidosos) do Paraná Banco foi de 47,5% no último trimestre, uma melhora de 27,7 pontos percentuais em um ano e aumento de 6,6 pontos percentuais na comparação com os primeiros três meses de 2021.

Considerando o resultado da margem financeira bruta de R$ 205,6 milhões, o banco encerrou o trimestre com uma margem líquida (NIM) de 10%, uma redução de 1,7 ponto percentual em relação ao mesmo período do ano passado. O Paraná Banco atingiu uma carteira de captação de R$ 7,2 bilhões em junho de 2021, um aumento de 40,1% em relação ao mesmo período do ano anterior e decréscimo de 3,4% comparado ao primeiro trimestre.

E finalizou esta semana uma captação de R$ 459,3 milhões em letras financeiras. Foi a sétima emissão do banco. A operação contou com uma demanda de R$ 1 bilhão, quase quatro vezes superior à colocação mínima anunciada, de R$ 300 milhões (com expectativa de R$ 500 milhões), e com o interesse de 20 investidores institucionais.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="782845" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]