Centrais sindicais voltam às ruas contra terceirização

Roger Pereira


A sanção da Lei das Terceirizações pelo presidente Michel Temer (PMDB) na última sexta-feira levou as centrais sindicais a chamarem uma mobilização relâmpago para este domingo. Nesta tarde, cerca de 500 pessoas foram à Boca Maldita, no centro de Curitiba, num ato que prometem repetir todos os domingos, protestando contra a lei das terceirizações e as reformas da Previdência e Trabalhista, já em discussão em Brasília.

“O movimento foi chamado pela rede social. Nós temos um grupo trabalhando em Brasília para acabar com a aposentadoria e nós estamos mobilizados para combatê-lo. Agora, para nossa surpresa, na sexta-feira, eles sancionam a lei que permite a terceirização irrestrita. Então chamamos o povo em cima da hora para alertar da gravidade desta situação, da traição deste governo”, disse Nelson Silva de Souza, presidente da Força Sindical do Paraná. “Nós temos uma greve geral chamada para o dia 28 de abril, mas todos os finais de semana estaremos aqui na Boca Maldita. Faremos assembleia nas fábricas e estaremos atentos a qualquer outro movimento do governo”, acrescentou.

A presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Paraná, Regina Cruz, disse que a CUT fará, neste mês, um “abril vermelho”, com jornada de lutas, no estado inteiro. “Paralisaremos algumas categorias e faremos vários atos no estado todo, principalmente no setor rural, já que esta questão da aposentadoria afeta muito o trabalhador rural”, disse. Ela comentou o a importância de, ao menos no Paraná, as centrais estarem unidas contra as reformas. “A Força Sindical, e outras centrais, em nível nacional, estão negociando com o governo. A CUT não negociará. No Paraná, no entanto, as centrais estão lutando juntas contra a reforma”.

Previous ArticleNext Article
Repórter do Paraná Portal
[post_explorer post_id="422654" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]