Com inflação alta, a conta fica muito cara para o trabalhador

Inflação é o imposto mais alto para o trabalhador de baixa renda, diz o deputado Luiz Cláudio Romanelli.

Redação - 26 de abril de 2022, 16:01

Fot/Fumesc
Fot/Fumesc

Com projeção de inflação (IPCA) fechando o ano com alta de 7,65%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central (BC), a conta está ficando muito cara para o trabalhador. A análise é do deputado Luiz Cláudio Romanelli.

O parlamentar não perdoa a incompetência do Governo Federal que não consegue controlar a alta dos preços. De acordo com Romanelli, “há mais de um ano que as projeções para a inflação só indicam alta. O descontrole da economia, pela incapacidade de gestão federal, é que está nos conduzindo para este buraco”.

Em entrevista à imprensa nesta terça-feira, na Assembleia Legislativa, o deputado ressaltou que “a cada dia que passa este governo está deixando a conta mais cara, e quem vai pagar a fatura é o trabalhador”.

 “A inflação é o pior imposto que um País pode ter, pois corrói a renda das classes mais baixas”, pontuou Romanelli.

O deputado também citou outra questão preocupante, que é a elevada taxa de juros. “Juros altos inibem investimentos e consumo”, pondera Romanelli. O mercado financeiro prevê que a Selic ficará em 13,25% em 2022. Para 2023, a expectativa se mantém em 9% ao ano. “Há um ano a Selic era de 2%. Agora é seis vezes maior e seguirá pressionando o bolso dos brasileiros”, afirma Romanelli. As estimativas para 2024 ficaram em 7,5% ao ano e para 2025 estão em 7% ao ano.