Compra do HSBC pelo Bradesco é aprovada pelo Cade

Andreza Rossini


O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou com restrições a compra de 100% do HSBC Brasil pelo Brasesco, nesta quarta-feira (8). O órgão exige a celebração de um Acordo em Controle de Concentrações (AAC), proposto pelos dois bancos, a um compromisso a ser cumprido pelo Bradesco: de não adquirir nenhuma outra instituição financeira que atue no Brasil pelos próximos dois anos e meio.

A partir desta aprovação, o Bradesco deve iniciar a negociação do preço a ser pago pelo HSBC. A expectativa é que a aquisição seja concluída entre 15 e 20 dias após esta aprovação.

Com o negócio avaliado em US$ 5,2 bilhões o Bradesco vai se tornar o terceiro maior banco do Brasil e a medida proposta pelo Conselho visa um ambiente menos hostil a outros bancos menores no país. O Bradesco também se comprometeu a abrir mão dos custos de portabilidade no crédito livre de pessoa física nos municípios onde existem concorrentes, para deixar o cliente do HSBC “livre” para contratar outros bancos.

A operação de compra e venda pode aumentar o mercado para o Bradesco em 106 municípios. Um outro AAC já havia sido recomendado pelo Cade para ampliar informações no site do Bradesco sobre educação financeira e portabilidade bancária, além de ter meta de redução no número de reclamações referente ao banco em 25% em 131 municípios.

O Cade não se considerou o órgão responsável pela manutenção dos empregos existentes na sede do HSBC, em Curitiba, que tem cerca de 8 mil funcionários. O Sindicato da categoria havia solicitado ao órgão uma restrição à demissão dos funcionários.

Previous ArticleNext Article