Criação de vagas temporárias pode chegar a 32 mil no Paraná até dezembro

Cristina Seciuk - CBN Curitiba

O Paraná deve ser o segundo estado do país em abertura de vagas de emprego temporário neste final de ano. A previsão é da Associação Brasileira do Trabalho Temporário, que junto com a Caixa Econômica Federal aponta para a chance de criação de 32 mil desses postos nos setores paranaenses entre os meses de setembro e dezembro.

A projeção fica bem atrás dos números esperados para o primeiro desse ranking, que é o estado de São Paulo, que deve ter quase 300 mil de vagas temporárias; mesmo assim, a expectativa de abertura dessas vagas no Paraná apresenta franca vantagem diante de outros estados bem mais populosos, conforme o vice-presidente da Associação Brasileira do Trabalho Temporário, Marcos de Abreu. “Chegou a surpreender porque temos estados mais fortes como Rio de Janeiro e Minas Gerais e eles perderam para o Paraná”, disse.

Segundo a ASSERTTEM, a abertura de postos de trabalho temporário no país deve crescer em 10% na comparação com os últimos quatro meses de 2017. É um reflexo de recuperação da confiança enquanto o empresariado aguarda sinais sólidos reaquecimento econômico.

“As empresas preferem contratar o trabalho temporário e a medida que a economia vai aquecendo esses trabalhadores temporários vão se tornando trabalhadores efetivos”, ressaltou.


O aumento de demanda na produção da indústria e nas vendas do comércio, motivado por datas comemorativas do final de ano como o Dia das Crianças e o Natal, tradicionalmente puxa essa alta, mas não está sozinho. Na avaliação do vice-presidente da Associação Brasileira do Trabalho Temporário, além da reanimação de alguns segmentos, as alterações na legislação que rege esses contratos temporários, com flexibilização das regras, também colaboram com o cenário mais otimista.

“A legislação alterada em 2017 ampliou o prazo do trabalho temporário de 90 dias para 180 dias, há muito mais tempo para que o trabalhador mostre seus atributos. A legislação simplificou a contratação de trabalho temporário”, destacou.

O perfil fortemente agroindustrial do Paraná teve impacto na projeção de vagas para o estado. Além desse setor, os segmentos farmacêutico, alimentar e químico são os que devem apresentar as principais altas na criação dos postos temporários, com expectativa de taxa de 8% de efetivação.

 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook