Diversificação da atividade rural pode gerar renda, diz secretário

A diversificação da atividade rural pode ser a solução para gerar renda na pequena e média propriedade na região oeste. ..

Mariana Ohde - 08 de fevereiro de 2017, 09:16

Foto: Pedro Crusiol
Foto: Pedro Crusiol

A diversificação da atividade rural pode ser a solução para gerar renda na pequena e média propriedade na região oeste. Essa alternativa foi apontada pelo secretário estadual da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, nesta terça-feira (7), após apresentação de estudo feito pelo técnico da Emater, Paulo Tascheto, durante o Show Rural.

O estudo foi apresentado a prefeitos e secretários municipais do oeste do Paraná, em encontro promovido pela Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop), interessados em alternativas de desenvolvimento em seus municípios. Tascheto alertou o poder público e empresários da iniciativa privada sobre o processo de concentração da atividade rural no Oeste do Paraná.

Ao mesmo tempo que a produção rural revela uma pujança na região, há também um desafio de elevar a renda per capita e a produtividade que tem potencial de crescimento ainda maior, disse o técnico.

Segundo Tascheto, 80% do Valor Bruto da Produção (VBP) do Oeste do Paraná é gerado por 21% dos estabelecimentos na região. E que quase 50% das propriedades rurais sobrevivem com menos de dois salários mínimos.

O estudo revela que mesmo assim o VBP do Oeste do Paraná supera a média do estado. No Oeste o VBP/há é de R$ 9,8 mil, enquanto na média do Estado o VBP/há é R$ 4,6 mil.

Além da concentração de valor, a atividade rural no Oeste do Paraná está estabelecida em poucas alternativas, sendo as mais expressivas a produção de grãos, frango, suínos e leite. “E há estudos que comprovam que quanto maior a diversificação de atividade numa região e com a inserção da propriedade no sistema de produção de valor e de distribuição de riqueza, maior é o retorno do ICMS”, disse o técnico.

Diversificação

Segundo Ortigara, esse alerta da Emater pode desencadear o esvaziamento dos municípios, que perdem oportunidades para gerar emprego e renda, podendo criar um drama social na região. O secretário propôs aos prefeitos um encontro para elaborar novas alternativas para mudar essa realidade.

“Com base em dados do IBGE, Ipardes, vamos discutir um plano de trabalho com estratégias e rumos a seguir. Temos ferramentas para mudar essa realidade”, disse.

Ortigara antecipou uma sugestão como a diversificação da pequena e média propriedade para atividades como horticultura, fruticultura, criação de pequenos animais, que geram valor aos produtores. “Além disso, queremos continuar crescendo em produtividade e qualidade na produção de leite”, afirmou.

A região Oeste produz mais de 1,1 bilhão de litros de leite por ano. “Podemos produzir muito mais, com qualidade, para oferecer melhor matéria-prima para a indústria, e que ela pague por essa qualidade”, lembrou. Ele disse ainda que a região Oeste pode crescer muito mais na produção de suínos e peixes, que será a proteína do futuro. E que ainda há espaço para o aumento da produtividade de soja e milho, como estratégia de diluir os riscos para as propriedades menores.

Ortigara pediu aos prefeitos empenho e esforço em parcerias com a Seab em programas como o Manejo e Conservação de Solos e Água, que possui várias técnicas que ajudam a conservar o solo e elevar a produtividade da lavoura, com sustentabilidade. De acordo com o secretário, 70% do resultado do agronegócio é produto da aplicação de conhecimento e de tecnologia.

Ortigara disse que a Secretaria da Agricultura tem ações e programas que serão implementados este ano para apoiar as pequenas propriedades e os produtores que vivem em situação de pobreza no meio rural. Citou o lançamento de programas como Compra Direta Estadual, Restaurantes Populares e o Fundo da Pobreza, que propõe construir um projeto de vida para esse agricultor. “Vamos liberar dinheiro, uma renda direta para o agricultor em situação de vulnerabilidade, mas essa liberação vai ocorrer à medida que o agricultor cumpra sua parte também”, destacou.