Dólar deve seguir na casa dos R$ 3,20

Mariana Ohde


Confira o boletim de abertura de mercado desta sexta-feira (1), com o superintendente regional de câmbio da SLW, João Paulo de Gracia Corrêa:

Descolado do exterior, o dólar exibiu um comportamento volátil no início do último pregão do mês de junho, refletindo a disputa pela formação da taxa PTAX. À tarde, com os agentes atentos à reunião do Conselho Monetário Nacional e testando o piso aceitável pelo Banco Central para voltar a realizar seus leilões de swap cambial reverso, a moeda americana atingiu a mínima intraday desde 21 de julho de 2015, em R$ 3,1836. Ao final da sessão, a divisa norte-americana fechou cotada em R$ 3,2105, queda de 0,83%.

O segundo semestre de 2016 começa com sinais mistos no mercado financeiro internacional. Os futuros americanos operam em queda após a divulgação de dados ruins do setor manufatureiro da China. O preço do barril de petróleo cai e o dólar exibe direções divergentes neste início de pregão. Na Europa, a bolsa de Londres opera no positivo, após as declarações do presidente do Banco da Inglaterra, Mark Carney, afirmando que está disposto a relaxar ainda mais a política monetária no curto prazo. Mesmo com o índice de atividade industrial da zona do euro ter vindo no maior patamar em seis meses, as bolsas de Paris e Frankfurt exibem perdas modestas, cautelosas com o Gigante Asiático confirmando desaceleração.

Internamente, os DI(s) podem respirar aliviados após o CMN manter a meta de inflação para 2018. Já o dólar deve iniciar o mês de julho em alta. Após dias testando o Banco Central, a instituição enfim anunciou, após o fechamento dos mercados, um leilão de swap cambial reverso, sinalizando aos agentes domésticos um piso informal para a moeda dos Estados Unidos de R$ 3,20.

Acompanhe os dados do mercado em www.slw.com.br

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal