Dólar fecha no menor nível após eleição na Câmara

Mariana Ohde


No dia seguinte à eleição para a presidência da Câmara dos Deputados, o dólar teve forte queda e encerrou o dia no menor nível em quase duas semanas, fechando em queda de 0,30%, em R$ 3,2594. Nos próximos dias, o mercado segue cauteloso com as mudanças no cenário interno e apreensivo em relação à repercussão dos novos atentados terroristas na França, nesta quinta-feira (14), quando um homem jogou um caminhão contra uma multidão que comemorava a Queda da Bastilha, matando mais de 80 pessoas.

Saiba mais no boletim de abertura de mercado desta sexta-feira (15), com o superintendente regional de câmbio da SLW, João Paulo de Gracia Corrêa:

O dólar teve seu terceiro dia de queda ontem. O viés positivo vindo do exterior, com a perspectiva de relaxamento da política monetária de vários BCs da Ásia e Europa, induziu os investidores internacionais a buscarem ativos de risco e maior rentabilidade. O preço do barril de petróleo subiu e o dólar caiu ante a maioria das moedas fortes e emergentes. Aqui, a eleição de Rodrigo Maia para a presidência da Câmara dos Deputados agradou os mercados e colaborou para a desvalorização da moeda americana ante o real.

A divisa dos EUA, que chegou a operar abaixo de R$ 3,22 durante a manhã, devolveu parte das perdas à tarde, com players recompondo as posições compradas, atraídos pelo baixo preço, além de um movimento de proteção antes da divulgação de uma bateria de dados importantes na China. Ao final do pregão, do dólar fechou em queda de 0,30%, em R$ 3,2594.

O último pregão da semana traz um viés de cautela vindo do exterior, após os atentados de Nice, na França, e antes da divulgação de uma bateria de indicadores da economia dos Estados Unidos. As principais bolsas europeias e futuros americanos operam em queda, o preço do barril de petróleo recua e, no mercado de câmbio internacional, o dólar perde para a libra e para o euro. Entre as moedas emergentes, a divisa americana exibe sinais diversos nesta manhã. Os números divulgados ontem à noite na China, em especial o PIB do segundo trimestre, vieram acima do esperado, porém insuficiente para animar os mercados. Aqui, com a agenda vazia e o início do recesso parlamentar, os players locais voltam o foco para o exterior. Sem um sinal firme do dólar no exterior, a moeda americana tende abrir o pregão desta sexta-feira estável, aguardando a divulgação dos indicadores dos Estados Unidos. Lembrado que números melhores do que o esperado tendem a fortalecer o dólar.

Acompanhe os dados do mercado em www.slw.com.br

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="372734" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]