Empresas paranaenses apresentam menor queda no faturamento durante pandemia

Redação

Pesquisa do Sebrae em parceria com a FGV também aponta menor procura por empréstimos.
faturamento empresas paranaenses

As empresas paranaenses apresentam os menores índices em relação às perdas de faturamento, de acordo com estudo do Sebrae em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas).

A Pesquisa de Impacto da Pandemia de Coronavírus nos Pequenos Negócios ocorreu entre os dias 27 e 31 de agosto, com 607 empresários do Paraná. Foram entrevistadas 7.586 pessoas dos 26 estados brasileiros mais o Distrito Federal.

Os dados evidenciam a retomada gradual. Com o processo de reabertura, 79% das micro e pequenas já estão funcionando, sendo que 61% do total estão operando com mudanças por conta da crise. Ao todo, 65% delas estão vendendo pelas redes sociais e 13% do total passaram a fazer isso durante a crise. Além disso, os pequenos negócios também buscaram expandir com vendas online, delivery, mudar a linha de produtos e serviços, entre outras estratégias.

A pesquisa do Sebrae identificou uma queda pelo terceiro mês consecutivo de empresas que apresentaram diminuição das receitas. Os prejuízos que chegaram a atingir 90,2% dos pequenos negócios em abril chegaram, em agosto, a 76% delas. Isso representou que mais negócios tiveram aumento no faturamento (7%) ou resultados estáveis (14%) em relação a um mês sem efeitos da pandemia.

A perda média de receitas das empresas também foi a menor dos últimos cinco meses. Entre as empresas que tiveram prejuízos, a queda foi de 64,6% em abril em comparação a um mês normal, enquanto o número foi de 56% em agosto. Já a variação total nesse mês ficou em -41%. Os números mostram uma recuperação gradual por parte das micro e pequenas empresas paranaenses ao longo do período.

PESQUISA APONTA QUEDA NA PROCURA DE EMPRESAS POR EMPRÉSTIMO

Ainda de acordo com a pesquisa, houve uma leve queda no percentual de empresas que buscaram empréstimos pela primeira vez nessa pandemia.

O percentual caiu de 54% para 51%. No Paraná, a porcentagem foi de 48% das empresas, sexta menor do país.

No entanto, entre as ME e as EPP a procura por crédito é maior, com 60% e 72% respectivamente. Apesar de um leve aumento, dentro da margem de erro, do percentual de empresas que conseguiram crédito – 21% para 22%, o percentual de empresas que tentaram financiamentos e não conseguiram obter o empréstimo voltou a subir no final de agosto, passando de 56% para 61%. No Paraná, o índice é de 56%.

CONFIRA OS DADOS DO PARANÁ NO ESTUDO DO SEBRAE COM A FGV

– Apenas 21% dos empresários afirmaram que seus negócios estão em fechamento parcial. 76% disseram estar em processo de reabertura e 3% estão abertos sem restrições.

– 79% das empresas estão funcionando, sendo 61% do total funcionando com mudanças por conta da crise.

– 76% dos entrevistados disseram que o faturamento caiu durante a pandemia (média das perdas de 56%); 7% do total relataram que aumentou (média de ganhos de 35%) e 14% que os números ficaram estagnados.

– Houve redução de 87,2% para 76% na proporção de empresas que afirmam que estão sofrendo uma diminuição no seu faturamento. A queda se dá pelo terceiro mês consecutivo. Em abril a queda chegou a atingir 90,2% das empresas.

– Pelo quinto mês consecutivo, houve melhora nos índices de queda do faturamento das empresas. Entre as empresas que perderam, a perda média foi de 64,6% em abril e de 56% em agosto. A variação total passou de -51% para -41% em comparação ao último levantamento, em julho.

– 65% das empresas vendem pelas redes sociais, sendo que 13% do total passaram a vender por conta da crise.

Previous ArticleNext Article