Especialista acredita em cenário promissor em 2019 e dá dicas sobre onde investir

Redação


Com as mudanças político-econômicas e com a agenda reformistas e liberais do governo eleito surgem dúvidas sobre quais são os melhores investimentos para o próximo ano. Segundo André Malucelli, diretor de investimentos do Paraná Banco, para quem deseja correr um pouco de risco, é válido direcionar entre 10% e 15% de suas reservas para investimentos na bolsa – desde que compre ações ainda em 2018.

Aplicativo de investimentos transforma correntista comum em investidor

De acordo com o especialista, a expectativa é de valorização de ações já no começo de 2019. “Este pode ser o momento para investir em empresas nas quais se aposta no crescimento. Para quem busca diversificar investindo em bolsa, os fundos de renda variável podem trazer boa rentabilidade ao longo do tempo, com maior praticidade”, orienta o diretor de investimentos.

Os principais diferenciais dos fundos são reunir recursos de diversos investidores (cotistas) e atuar com carteira de investimentos variados, sempre administrados por especialistas. Investimentos inicial no High Conviction Funds, que atua com foco em cotas de fundos multimercados com alta rentabilidade e performance, do Paraná Banco, é de R$ 500.

André Malucelli, diretor de investimentos do Paraná Banco │ Foto: Divulgação

“Para quem deseja apostar no crescimento das empresas brasileiras, duas opções também interessantes são o JMalucelli Marlim Dividendos, cuja carteira é composta por ações de empresas com histórico de bom pagamento de dividendos, e o JMalucelli Small Caps, cuja carteira é composta por ações de emissão de companhias abertas de baixa e média capitalização de mercado, com expressivo potencial de valorização no longo prazo”, indica Malucelli.

Para quem busca menos risco

Para preservar a maior parte da reserva financeira em 2019, o especialista indica os investimentos em renda fixa, em especial os pós-fixados com rentabilidade acima de 100% do CDI com vencimento em seis meses ou um ano. “É importante observar que bancos grandes oferecem retornos menores. Em CDBs, por exemplo, a rentabilidade é entre 90% e 95% do CDI, enquanto bancos médios pagam significativamente mais, pois visam atrair os clientes. No Paraná Banco, por exemplo, o rendimento dos CDBs varia entre 98% e 110% do CDI, de acordo com os prazos”, aponta Malucelli.

O especialista acredita que 2019 será um ano positivo para a economia, considerando as intenções reformistas e liberais do governo eleito. A expectativa é que a Selic siga em baixa, na esteira da baixa inflação, e que o dólar se mantenha na faixa de R$ 3,70, em contraposição ao aumento da Bolsa.

Ao investidor, cabe conhecer os ativos desejados e, especialmente, o seu apetite ao risco, antes de investir. Do contrário, pode acabar encarando prejuízo. “As instituições financeiras ajudam o investidor a reconhecer o seu perfil e, as mais completas, oferecem produtos rentáveis e seguros. Tanto para quem busca mais, quanto para quem busca menos risco, é importante contar com suporte e orientações de especialistas”, aponta Malucelli.

Previous ArticleNext Article