EUA suspende todas as importações de carne fresca do Brasil

Mariana Ohde


O secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, anunciou nesta terça-feira (22) a suspensão de todas as importações de carne bovina fresca do Brasil devido a preocupações recorrentes sobre a segurança dos produtos destinados ao mercado americano.

Em comunicado, Perdue informou que a suspensão dos embarques permanecerá em vigor até que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) tome medidas corretivas que o Departamento de Agricultura americano considere satisfatórias.

O Serviço de Inspeção e Segurança de Alimentos dos EUA inspeciona todos os produtos de carne que chegam do Brasil e desde março recusou a entrada para 11% dos produtos brasileiros de carne fresca. “Esse valor é substancialmente superior à taxa de rejeição de um por cento das remessas do resto do mundo”, diz a nota do governo americano.

Desde o aumento da inspeção, foi recusada a entrada de 106 lotes de produtos bovinos brasileiros, devido a problemas de saúde pública, condições sanitárias e problemas de saúde animal. A nota dos Estados Unidos diz que o governo brasileiro se comprometeu a resolver essas preocupações.

Na segunda-feira (21) o Mapa suspendeu as exportações de cinco frigoríficos para os EUA, depois de autoridades sanitárias americanas identificarem irregularidades provocadas pela reação à vacina contra a febre aftosa. Segundo nota do Mapa, a proibição continuará em vigor até que sejam adotadas “medidas corretivas”.

Segundo o secretário de Agricultura dos EUA, “garantir a segurança do fornecimento de alimentos da nossa nação é uma das nossas missões críticas, e é uma tarefa que empreendemos com muita seriedade. Embora o comércio internacional seja uma parte importante do que fazemos no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês), e o Brasil há muito tempo é um dos nossos parceiros, minha prioridade é proteger os consumidores americanos. Isso foi o que fizemos, interrompendo a importação de carne fresca brasileira”, disse.

Exportações

Até maio desde ano, o Brasil exportou 4,68 mil toneladas de carne bovina in natura para os Estados Unidos, ou US$ 18,9 milhões. O maior importador do produto é a China, com 52,8 mil toneladas no mesmo período.

Considerando-se apenas maio, Hong Kong foi o que mais importou esta categoria de produto, com um total de 19 mil toneladas, o que representa um aumento de 29% do total comercializado em abril. A China ocupa o segundo lugar, com um total de 14 mil toneladas (alta de 19%). Assumindo a posição que em abril era da União Europeia, a Rússia aparece na terceira colocação, totalizando 11 mil toneladas importadas (aumento de 14%). Os Estados Unidos exportaram 4,4 mil toneladas.

Os dados são da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) e Mapa.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal