Férias coletivas paralisam atividades na Volkswagen

Redação


A produção de automóveis e motores vai ser suspensa por pelo menos um mês nas quatro fábricas da Volkswagen no Brasil, dentre elas, a de São José dos Pinhais, região Metropolitana de Curitiba. Os mais de 18 mil trabalhadores vão ficar em férias coletivas até o mês de setembro. O anúncio foi feito pela montadora nesta segunda-feira (8).

De acordo com a Volkswagen, o contrato com as empresas de autopeças que forneciam os itens para os veículos no Brasil foi rescindido.

Ainda de acordo com a montadora, a falta de abastecimento por parte da antiga parceira fez com que a Volkswagen ficasse mais de 120 dias com a produção paralisada. De acordo com a empresa, as fábricas de São José dos Pinhais, Taubaté e São Bernardo do Campo, em São Paulo, estão com problemas na produção desde o mês passado. A montadora ainda afirma que houve falta de fornecimento da Keiper, empresa responsável pelos bancos dos automóveis.

Em nota, a Volkswagen afirma que antecipar as férias coletivas dos funcionários foi a última alternativa encontrada pela montadora para normalizar a operação e suavizar os impactos em toda a cadeia produtiva. A montadora ainda ressalta que se trata de “uma medida que causa pesados custos à empresa. A transferência do ferramental, sua instalação, sua validação e a curva de aceleração até que a empresa opere normalmente, resultarão temporariamente em perdas de produção”.

Também em nota, a Keiper – que pertence ao Grupo Prevent, ressaltou que a “decisão de substituir o fornecedor é uma decisão arbitrária e unilateral da Volkswagen, que não leva em consideração o fato da Keiper aos longos destes anos ter suportado o desequilíbrio econômico, incorrendo em grandes prejuízos, mantendo a relação com a mesma qualidade, desempenho e expertise”.

Previous ArticleNext Article