Foz do Iguaçu registra 100% de lotação nos hotéis pelo quarto feriado consecutivo

Folhapress

retomada do turismo

Com o avanço da vacinação e o relaxamento de restrições à circulação de pessoas para evitar o contágio pela Covid-19, o feriado prolongado do Dia da Proclamação da República teve praias e hotéis cheios por todo o país.

O feriado começou com grande fluxo de veículos em rotas que ligam capitais a balneários turísticos, como o sistema Anchieta-Imigrantes, em São Paulo, e a Ponte Rio-Niterói, caminho para quem vai do Rio de Janeiro à Região dos Lagos. A volta já começa a provocar congestionamentos.

O dólar caro e a burocracia para viagens internacionais durante a pandemia vêm beneficiando os destinos nacionais. No Rio de Janeiro, por exemplo, o feriado teve a maior ocupação hoteleira do ano, com 95% dos quartos reservados.

O movimento foi impulsionado pela realização da meia maratona do Rio. “Tem uma diversidade, tem famílias, atletas que vieram competir. É muito legal para o Rio de Janeiro”, diz Alfredo Lopes, presidente do HotéisRIO (Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro).

Apesar das temperaturas mais amenas, com máxima de 25°C no sábado (13) e 28°C no domingo (14), o céu azul depois de semanas chuvosas levou muita gente às praias. Houve filas em pontos turísticos e baladas concorridas.

Na capital fluminense, o uso de máscara já não é obrigatório ao ar livre e, há uma semana, foram liberadas as rodas de samba na cidade. Neste domingo, por exemplo, cariocas e turistas lotaram a rua do Ouvidor, tradicional ponto de samba no centro da cidade.

O bairro da Lapa, tradicional reduto da boêmia carioca, ficou lotado todas as noites do fim de semana prolongado. “Quando cheguei, o tempo estava nublado, mas aproveitei a cidade mesmo assim”, disse a estudante universitária Catharina Duarte, 20, de Brasília.

O casal Iago Castro, 28, e Marina Dias, 28, deixou Itaúna (MG) e chegou ao Rio no sábado. Até a manhã desta segunda (15), os dois optaram por curtir a praia. À tarde, miravam pontos turísticos como o Cristo Redentor e o Parque Lage. “A cidade está cheia, mas a gente esperava que estivesse ainda mais”, disse Iago.

Em São Paulo, as praias do litoral norte e da Baixada Santista também receberam intenso fluxo de turistas. No litoral norte, os hotéis e pousadas ficaram praticamente lotados em Ilhabela e tiveram alta ocupação também em Ubatuba, São Sebastião e Caraguatatuba.

Em São Vicente, a prefeitura autuou neste domingo 19 ônibus de turismo que tentaram entrar na cidade sem autorização prévia –9 deles sofreram fiscalização ainda na estrada e tiveram que retornar. Para o feriado prolongado, 29 veículos pediram autorização para entrar na cidade com turistas.

No Maranhão, a previsão era que a ocupação dos hotéis na região dos Lençóis Maranhenses e do delta do rio Parnaíba chegasse a 83% no feriado, segundo estimativa da Secretaria de Estado do Maranhão, com dados do Observatório do Turismo do Maranhão.

Na quinta (11), o governador maranhense Flávio Dino (PSB) pôs fim à obrigatoriedade do uso de máscaras mesmo em locais fechados nas cidades com mais de 70% da população com cobertura vacinal completa.

Em Foz do Iguaçu, os hotéis atingiram 100% da capacidade pelo quarto feriado seguido, segundo a prefeitura. “É muito gratificante ver os moradores de Foz do Iguaçu voltarem a visitar as cataratas e ver o turismo voltando com força”, disse o prefeito Chico Brasileiro (PSD).

“Em novembro e dezembro, estamos tendo o retorno de grandes eventos, e isso é resultado da vacinação que já alcançou 100% da população do município e de todas as medidas de biossegurança adotadas em hotelarias, atrativos e comércio”, afirmou.

Em Florianópolis e no litoral norte de Santa Catarina, o sol também apareceu depois de dias nublados, levando moradores e turistas de volta às praias. Na Praia Mole, na capital, um campeonato de surfe atraiu grande público para as areias.

No Rio Grande do Sul, apesar dos fortes ventos, houve grande movimentação nas praias do litoral norte, como Capão da Canoa. Com a chegada de uma frente fria, porém, muitos turistas anteciparam o retorno para a manhã desta segunda (15).

A estimativa da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) é que o feriado prolongado movimente mais de 3,1 milhões de veículos pelas quatro principais rodovias paulistas que ligam a capital ao litoral e interior.

No sistema Anchieta-Imigrantes, que liga a capital à Baixada Santista, 273 mil veículos desceram a serra do Mar em direção ao litoral desde a 0h de sexta-feira, conforme a concessionária Ecovias, que administra o trecho.

Na Tamoios, ligação entre o Vale do Paraíba e litoral norte, eram esperados 127 mil veículos.

Para esta segunda-feira (15), a orientação é que os motoristas evitem trafegar até as 20h, período em que é esperado o maior fluxo de veículos nas rodovias.

O tráfego já estava lento na manhã desta segunda na rodovia dos Imigrantes, sentido capital, entre os quilômetros 50 e 48, por excesso de veículos, segundo a Ecovias.

Na Ponte Rio-Niterói, a concessionária Ecoponte esperava 83 mil veículos no sentido Região dos Lagos apenas na sexta-feira. Na volta do feriado, entre esta segunda e terça, a expectativa é que 152 mil carros passem no sentido Rio.

Com o avanço da vacinação, 4 em cada 5 cidades com mais de 100 mil habitantes no Brasil tiveram redução de novos casos da Covid-19 em outubro, maior índice de toda a pandemia. Outubro também foi o mês com maior número de cidades grandes sem mortes por Covid desde maio de 2020. Foram 22 (7%) e 43 (13%), respectivamente.

O cenário leva o setor de turismo a prever um fim de ano com movimento em patamares equivalentes ao período pré-pandemia.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="803605" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]