Gás de cozinha: Paraná e Santa Catarina não devem ter reajuste no preço

Redação

Gás de cozinha: Paraná e Santa Catarina não devem ter reajuste no preço

O mês de setembro marca normalmente um reajuste anual no preço do gás de cozinha devido ao subsídio salarial da categoria.

Esse reajuste representa quase 8% de aumento. No entanto, parte dos consumidores dos estados do Paraná e Santa Catarina terão o benefício de não ter esse adicional na conta de gás do final do mês. Isso porque empresas, condomínios e indústrias atendidos pela Gaslog não terão o repasse.

A empresa é a única do país a estar com o contrato adequado de acordo com as exigências do Ministério Público.

“Nosso contrato prevê reajustes somente quando há variação de preço do gás na Petrobrás – que não são poucos – e dos impostos. Não achamos justo que o consumidor sofra com outros reajustes trabalhistas, de água, combustível e luz, por exemplo, pois dessa forma não há uma relação transparente com o cliente.”, explicou Wolney Pereira, CEO do Grupo Ergon.

A Gaslog conseguiu quase 90% de aprovação de seus clientes em recente pesquisa de mercado feito por empresa especialista. A pesquisa mostrou que pontos como transparência, atendimento pós venda, e excelência no abastecimento são os mais valorizados pelos clientes do Paraná e Santa Catarina.

“Entendemos as distribuidoras como prestadoras de serviço. E é justamente o atendimento e a entrega que devem ser o grande diferencial para a escolha feita pelo cliente. E não por amarras contratuais”, conclui.

LEIA MAIS: Eleições 2020: Propaganda eleitoral começa hoje; veja o que pode e o que está proibido

Previous ArticleNext Article