Gastos com viagens dos funcionários da Itaipu diminuem 61%

Redação

itaipu viagens funcionários gastos

As viagens dos empregados da Itaipu diminuíram 40% no segundo trimestre de 2019. Os deslocamentos caíram de 1.570 para 949, com os custos também tendo queda. De R$ 3.869.840,35, o valor foi para R$ 1.487.692,98. Ou seja, uma redução de 61%. O números são comparados com os dados do mesmo período no ano passado.

O planejamento para a realização de viagens mudou. Agora, é necessário justificar os motivos e trazer na bagagem um relatório do que foi feito no período. No pedido de viagem, é necessário esclarecer a razão pela qual as atividades não podem ser feitas por videoconferência ou outro recurso remoto de comunicação.

Essa foi uma das medidas do general Joaquim Silva e Luna, que assumiu o cargo de diretor-geral brasileiro de Itaipu em fevereiro. Com a reestruturação, a gestão avalia que existe hoje uma economia de R$ 163 milhões.

O valor, resultado de remanejamento de convênios e patrocínios, será investido em obras estruturantes. Dois exemplos são a Ponte da Integração, na fronteira entre Brasil e Paraguai, e o Mercado Municipal de Foz do Iguaçu.

MIGRAÇÃO

A expectativa é que os números caiam ainda mais, só que de maneira gradual. Isso porque ainda será consolidado o processo de transferência de 120 funcionários de Curitiba para Foz de Iguaçu, centro de comando da usina. A migração teve início no começo deste mês, mas só será concluída em janeiro de 2020.

Segundo Luna e Silva, o enxugamento do escritório na capital paranaense resultará em uma economia de R$ 7 milhões e trará melhoria na gestão de pessoas. “Vamos continuar investindo sem desperdício”, projeta o diretor-geral.

Por fim, vale destacar que a Itaipu mantém mais de 180 atividades na região oeste do Paraná. Os investimentos somam mais de R$ 500 milhões, sem contar o repasse de royalties.

Previous ArticleNext Article