Governo do Paraná aponta que 94% das empresas estavam em atividade em maio

Através da análise da emissão de notas fiscais eletrônicas no Paraná, o Governo identificou que 94% das empresas estavam..

Redação - 05 de junho de 2020, 07:46

Foto: Pedro Ribas/SMCS
Foto: Pedro Ribas/SMCS

Através da análise da emissão de notas fiscais eletrônicas no Paraná, o Governo identificou que 94% das empresas estavam em atividade na última semana de maio. Os dados são do boletim conjuntural das secretarias de Planejamento e Projetos Estruturantes e da Fazenda e divulgado nesta quinta-feira (4).

De acordo com a apuração, 1,4 mil estabelecimentos que operam no Simples Nacional e 900 do Regime Normal ainda estavam fechados no dia 29 do mês passado.

A análise revela que, apesar da retomada das atividades, o volume de negócios está abaixo do padrão normal.

PANDEMIA DO CORONAVÍRUS TEM REFLEXO DIRETO NAS RECEITAS DO PARANÁ 

A pandemia do coronavírus tem reflexo direto nas receitas do Estado, especialmente com a perda na arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que somente em maio alcançou um recuo de R$ 853 milhões em relação ao valor previsto na Lei Orçamentária Anual.

Nove atividades econômicas foram atingidas pela queda na arrecadação. Entre elas, estão:

  • setor de combustíveis (60,8%);
  • comércio varejista (-32,8%);
  • bebidas (-28,7%);
  • indústria (-22,3%);

Segundo o boletim conjuntural, a redução da atividade produtiva, embora mais aguda no segundo trimestre do ano, deve afetar o desempenho econômico do Paraná até o final de 2020.

A projeção é de resultados negativos no terceiro trimestre, com redução de 8,9% em relação à previsão inicial e no quarto trimestre, recuo de 6%. As expectativas de mercado apontam que apenas em 2022 deve ser observado o mesmo nível de produção e renda de 2019.

SETOR AUTOMOTIVO E EXPORTAÇÃO DE ALIMENTOS APRESENTARAM RECUPERAÇÃO

O boletim revela que as vendas do comércio ainda estão abaixo do padrão normal para os meses de abril e maio, mas alguns setores tiveram recuperação segundo a análise da última semana de maio.

É o caso do setor automotivo, que dobrou o volume de negócios em relação à semana anterior e teve pico de vendas em comparação com meados de março.

Vestuário e acessórios, bem como o segmento de calçados, que atingiram patamares próximos à normalidade entre 4 a 10 de maio, por conta do Dia das Mães, mantiveram o ritmo positivo no final do mês, principalmente em decorrência da abertura de centros comerciais em algumas cidades.

O final de maio também registrou evolução na movimentação em restaurantes e lanchonetes, mas estes segmentos ainda estão 46% abaixo do nível do início de março.

O boletim ainda aponta que houve aumento nas exportações de alimentos devido principalmente ao comportamento do câmbio. Porém, houve queda das exportações de produtos industrializados por conta da diminuição da demanda no período da pandemia.