Governo e caminhoneiros chegam a acordo para suspender greve

Após sete horas de reunião, o governo e um grupo de caminhoneiros anunciaram a suspensão, por 15 dias, da paralisação qu..

Roger Pereira - 24 de maio de 2018, 21:38

Foto: Rodolfo Buhrer / Paraná Portal
Foto: Rodolfo Buhrer / Paraná Portal

Após sete horas de reunião, o governo e um grupo de caminhoneiros anunciaram a suspensão, por 15 dias, da paralisação que afetava estradas de 22 estados e do Distrito Federal. O acordo foi anunciado pelo ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) em entrevista coletiva, na noite desta quinta-feira (24). De acordo com ele, das 11 entidades que participaram das negociações, apenas a União Nacional dos Caminhoneiros não concordou com os termos.

O acordo foi firmado entre o governo federal e as entidades que representam os caminhoneiros, como a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos, a Confedferação Nacional do Transporte, a União Nacional dos Caminhoneiros e o Sindicato Nacional dos Cegonheiros, entre outras.

Pelo acordo, o governo comprometeu-se a: reduzir a zero a alíquota da CIDE sobre o diesel; manter a redução de 10% no valor do óleo diesel; não reajustar o valor do diesel nos próximos 30 dias; interceder pela isenção da tarifa do pedágio para o eixo suspenso; não promover a reoneração da folha de pagamento do setor e extinguir as ações judiciais contra as entidades, entre outras medidas.

Em contrapartida, os caminhões voltam a circular imediatamente, encerrando a greve que já durava quatro dias em todo o país.

O acordo acontece depois que o país começou a sentir de maneira mais enérgica os efeitos da paralisação dos caminhoneiros nesta quinta-feira (24), quarto dia de mobilização. Com bloqueios em 496 pontos de estradas de 25 estados e no Distrito Federal, postos com longas filas já ficaram sem combustível, supermercados começaram a racionar alimentos, vacinas não chegaram à população. O transporte público operou com frota reduzida, as montadoras anunciaram paralisação.