Grupo CCR leva quatro aeroportos do Paraná em leilão, com ágio superior a 1.500%

Redação

Aeroportos vão a leilão

O leilão de quatro aeroportos do Paraná e outros 18 terminais brasileiros foi encerrado por volta das 11h desta quarta-feira (7), após uma hora de evento. A expectativa do governo federal era movimentar R$ 6 bilhões, mas o valor ficou em R$ 3,3 bi.

Agora o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, o Aeroporto Bacacheri, em Curitiba, o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, em Foz, e o Aeroporto Governador José Richa, em Londrina, serão administrados pelo Grupo CCR pelos próximos 30 anos.

O contrato prevê investimento de R$ 2,85 bilhões no Bloco Sul, que é formado por nove terminais do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

LEILÃO DE AEROPORTOS BRASILEIROS

Três blocos foram concedidos à iniciativa privada: Sul, Central e Norte I. Veja abaixo!

BLOCO SUL

Ele é formado por nove terminais, quatro deles no Paraná: Aeroporto Internacional Afonso Pena e Aeroporto do Bacacheri, em Curitiba; Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, em Foz; Aeroporto Governador José Richa, em Londrina; Aeroporto de Navegantes e Aeroporto de Joinville, em Santa Catarina; Aeroporto de Pelotas, Aeroporto de Uruguaiana e Aeroporto de Bagé, no Rio Grande do Sul.

O Grupo CCR venceu a disputa do Bloco Sul com proposta de R$ 2,12 bilhões. O Ágio foi de 1.534,36%. A Aena Desarollo e a Infraestrutura Brasil Holding também ofereceram proposta pelo Bloco Sul.

BLOCO CENTRAL

O Bloco Central é formado por seis terminais: Aeroporto de Goiânia; Aeroporto de Palmas, no Tocantins; Aeroporto de São Luís e Imperatriz, no Maranhão; Aeroporto de Teresina, no Piauí; e Aeroporto de Petrolina, no Pernambuco.

O Grupo CCR venceu a disputa do Bloco Central com proposta de R$ 754 milhões. O Ágio foi de 9.156,01%.

BLOCO NORTE I

Ele é formado por sete sete aeroportos: Aeroporto de Manaus, Aeroporto de Tabatinga e Aeroporto de Tefé, em Manaus; Aeroporto de Porto Velho, em Rondônia; Aeroporto de Boa Vista, em Roraima; e Aeroporto de Rio Branco e Aeroporto de Cruzeiro do Sul, no Acre.

O grupo Vinci Airports venceu com proposta de R$ 420 milhões e Ágio de 777,4%.

INVESTIMENTOS GARANTEM VOOS INTERNACIONAIS DIRETOS EM CURITIBA E FOZ DO IGUAÇU

Os 22 aeroportos serão concedidos à iniciativa privada por um período de 30 anos, com licença de ampliação, manutenção e exploração da infraestrutura dos terminais. A expectativa do Ministério da Infraestrutura é de um investimento de R$ 2,8 bilhões somente no Bloco Sul – deste valor, R$ 1,4 bilhão será investido no Paraná.

Os terminais paranaenses que vão a leilão são considerados os mais atraentes do Bloco Sul, pelo potencial turístico e de negócios de Curitiba e das regiões de Foz do Iguaçu e Londrina.

Uma das exigências do edital será a construção da terceira pista de pousos e decolagens do Aeroporto Afonso Pena, segundo terminal mais movimentado da Região Sul. A melhoria visa aumentar a capacidade diária de operação do aeroporto, garantindo agilidade das companhias aéreas e permitindo mais viagens internacionais.

foz aeroporto pista
O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas foi um dos terminais leiloados nesta quarta-feira (Geraldo Bubniak/AEN)

Previous ArticleNext Article