Homens recebem salários 19% maiores no Paraná

A desigualdade entre os salários de homens e mulheres diminuiu nos últimos anos no Paraná, mas as mulheres ainda ganham ..

Mariana Ohde - 26 de setembro de 2016, 09:15

A desigualdade entre os salários de homens e mulheres diminuiu nos últimos anos no Paraná, mas as mulheres ainda ganham menos. Segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), divulgada pelo Ministério do Trabalho e analisada pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), elas ainda recebem, em média, R$ 400 a menos para desempenhar uma mesma função.

Em 2015, o salário médio dos homens no Paraná foi de R$ 2.629. Já o das mulheres foi R$ 2.206. Uma diferença de 19%. Em 2014, os homens ganhavam 21% a mais do que as mulheres no Paraná e em 2010 essa diferença chegava a 23%.

O Paraná tem hoje uma das menores disparidades de salários entre os sexos das regiões Sul e Sudeste. No Rio Grande do Sul, os homens ganhavam, em média, 21% mais do que as mulheres em 2015. No Espírito Santo, essa proporção era de 22%, em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo era de 24% e em Santa Catarina era 26%.

Entre 2010 e 2015, o salário médio das mulheres no Paraná subiu 63,7% - de R$ 1.317 para R$ 2.206 - contra uma evolução de 58,8% dos homens, de R$ 1.656 para R$ 2.629.

Segundo Suzuki Júnior, diretor-presidente do Ipardes, alguns fatores, como a preponderância da mão de obra feminina no trabalho doméstico e a maior incidência de jornada de trabalho de seis horas entre as mulheres ainda pressionam para baixo o salário feminino. Porém, a tendência é que a diferença entre os salários caia gradativamente nos próximos anos.

"A redução da diferença salarial entre homens e mulheres no estado do Paraná é muito bem-vida. Revela a diminuição da distinção salarial por conta do gênero e acreditamos que essa tendência se mantenha nos próximos anos. O processo de avanço salarial das mulheres reflete a maior escolaridade alcançada por elas nos últimos anos. Em média, elas estuam mais do que os homens e é natural que haja um processo de convergência salarial como o apontado pelo Ministério do Trabalho", explica Julio.

Maiores e menores salários

Em 2015, o setor de eletricidade e gás foi o que pagou os maiores salários para as mulheres, com remuneração média de R$ 5.558. Em segundo lugar ficou a atividade financeira, seguros e serviços relacionados, com R$ 4.519, em média. Em terceiro vem o setor da educação, com média salarial de 3.364 reais.

Já os menores salários pagos às mulheres no estado foram na agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, com R$ 1.313 reais em média. Alojamento e alimentação, com R$ 1.251 e serviços domésticos, com R$ 994 em média.

(Com informações da CBN Curitiba e AEN)