Indústria de alimentos ficou estável no primeiro semestre, mas espera alta até dezembro

Joana Cunha - Folhapress

intenção de consumo das famílias

A indústria de alimentos teve um primeiro semestre de estabilidade nas vendas para o mercado interno, com crescimento de apenas 0,2%, segundo a Abia (associação de fabricantes do setor), que registrou R$ 308 bilhões de faturamento no período.

Para o segundo semestre, a perspectiva é de um crescimento mais robusto por causa da retomada da categoria de alimentação fora do lar, que começa a recuperar o fôlego com o avanço da vacinação e o fim das restrições de funcionamento.

A participação das vendas de alimentação fora do lar nas vendas do mercado interno deve alcançar quase R$ 167 bilhões neste ano, se recuperando totalmente em 2020, de acordo com as estimativas do setor.

Segundo a Abia, o aumento dos preços das principais commodities agrícolas e a restrição da oferta de material para embalagens de metal e plástico ainda eleva os custos e pressiona o setor.

O grande foco de reclamação da Abia é a folha de flandres usada em latas, cuja participação nos custos de produção oscila entre 6% e 25%, ainda segundo a associação.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="783383" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]