Indústrias somam R$ 3 bi de prejuízos e podem atrasar salários

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep),  Edson Campagnolo,  estimou em cerca de R$ 3 bilhões de reais..

Jordana Martinez - 29 de maio de 2018, 17:30

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep),  Edson Campagnolo,  estimou em cerca de R$ 3 bilhões de reais os prejuízos acumulados pelo setor industrial paranaense nos nove dias de greve dos caminhoneiros.

"Se a gente for somar o impacto para os outros setores da atividade econômica, com certeza isso pode dobrar, triplicar, é difícil até mensurar", avaliou.

De acordo com Campagnolo, entre 70% e 80% das unidades indústrias do estado estão paradas por conta da greve. Os prejuízos passam dos R$ 400 milhões por dia.

"É uma ferida aberta. Houve um impacto e ainda está sangrando porque a atividade econômica está paralisada no estado do Paraná. Isso vale para a indústria, isso vale para o comércio, isso vale para serviços, isso vale para o transporte, que é a causa da greve, mas nós estamos imbuídos na busca de soluções... está na hora da gente voltar a trabalhar", disse.

Segundo o presidente da Fiep, outros setores ligados à indústria também acumulam prejuízos por conta da interrupção de atividades, falta de recebimento de matéria-prima e atraso nos faturamentos. A preocupação agora é honrar as folhas de pagamento.

"Se tiver uma reserva técnica vai pagar os salários, mas pode ser que, para a maioria das empresas, que não faturaram desde o último dia 21, talvez não tenham essa reserva técnica. Então esse caos está criado. Então cada empresa vai ter que buscar uma solução porque ela tem a obrigação de pagar os funcionários até o quinto dia de trabalho. E para piorar a situação do empresário, dia 31 é feriado", concluiu.

https://youtu.be/Yxd92FnHOyk