Mapa apresenta ações realizadas após Carne Fraca para 29 países

Mariana Ohde


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) apresentou um balanço das ações desenvolvidas durante a Operação Carne Fraca aos representantes das embaixadas de 29 países e blocos que importam carne brasileira.

A operação foi deflagrada pela Polícia Federal (PF) em março e mira um esquema de fraudes na fiscalização da produção de carne por 21 frigoríficos paranaense, 18 deles no Paraná. Diante das denúncias de supostas irregularidades, o Mapa adotou uma série de procedimentos com objetivo de mostrar aos importadores a segurança e a robustez do sistema de inspeção sanitária de produtos de origem animal.

Problema isolado

De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Luis Pacifici Rangel, o Brasil não tem problemas sanitários. “O que aconteceu foram desvios de conduta de uma minoria de servidores. O problema foi pontual. Exportamos para mais de 160 países e recebemos diversas mensagens de solidariedade, que atestam a sanidade e qualidade dos produtos brasileiros.”

O diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, José Luis Ravagnani Vargas, reafirmou aos diplomatas e adidos agrícolas que houve agilidade em demonstrar a segurança do Serviço de Inspeção Federal (SIF) brasileiro frente às denúncias apresentadas pela PF.

Consequências

Atualmente, 18 estabelecimentos permanecem proibidos de exportar carnes. Os servidores afastados em razão de envolvimento no caso já foram substituídos. Além disso, o Mapa já substituiu algumas chefias dos serviços de inspeção de produtos de origem animal nas superintendências federais de Agricultura de alguns estados e está em processo de substituição de outras.

Entre os 29 países e blocos que participaram da reunião, em Brasília, estavam representantes dos Estados Unidos, Japão, Chile, Austrália e União Europeia.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal