Mercado acompanha crise política brasileira e a ‘Brexit’ nesta quarta-feira

Mariana Ohde


A quarta-feira (15) começa com uma agenda intensa no Brasil e no exterior. Enquanto, aqui, o mercado acompanha as medidas do governo Temer para reequilibrar a economia e os recentes escândalos envolvendo políticos, no cenário internacional, a possível saída do Reino Unido da União Europeia – a chamada Brexit – e os próximos movimentos do FED dos Estados Unidos estão em foco.

Saiba mais no boletim de abertura de mercado de hoje com o superintendente regional de câmbio da SLW, João Paulo de Gracia Corrêa:

No exterior, o viés foi de cautela ontem. Antes do FED e atentos às pesquisas do BREXIT, investidores novamente evitaram ativos de risco, amparando a alta do dólar, a queda das bolsas e do preço do barril de petróleo. Aqui, além do exterior, os agentes domésticos acompanharam os desdobramentos da crise política e o comportamento do BC, agora nas mãos de Ilan Goldfajn. A moeda norte-americana abriu em linha com o exterior em forte alta e reverteu sua trajetória ainda pela manhã com fluxo de exportadores. Volátil, voltou a subir no início da tarde com a piora do ambiente externo, para, no final do pregão, devolver os ganhos e fechar praticamente estável, em leve queda de 0,06%, cotada em R$ 3,4801.

Depois das fortes quedas nos mercados acionários no pregão de ontem, com os investidores preocupados com a saída do Reino Unido da União Europeia, o famoso BREXIT, as principais bolsas do Velho Continente e futuros americanos ensaiam uma recuperação nesta manhã. A expectativa, hoje, recai sobre a decisão da política monetária a ser anunciada pelo FED às 15h. As apostas são de manutenção das taxas de juros. Os agentes devem focar no comunicado do BC americano e na coletiva de sua presidente, Janet Yellen, procurando por uma pista do “timing” em que a instituição deverá elevar os juros.

O preço do barril de petróleo segue em queda, aguardando a divulgação do DoE, após a API mostrar aumento nos estoques ontem à tarde. Apesar da queda do petróleo e do temor com o BREXIT, o dólar desvaloriza ante as moedas emergentes e europeias, com os players dando uma trégua temporária na aversão ao risco.

Internamente, os investidores locais também vão monitorar os desdobramentos políticos em Brasília. O presidente em exercício, Michel Temer, entregará aos lideres da Câmara e do Senado a PEC que limita os gastos do governo. Diante das dificuldades do projeto, que foi anunciado como prioridade, Temer desistiu de entregar a proposta pessoalmente. Já o presidente do Senado, Renan Calheiros defende que a votação aconteça depois do julgamento do impeachment. Os agentes também vão digerir as notícias de que o Conselho de Ética aprovou a cassação do mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Em meio ao cenário político conturbado, Temer irá falar nesta quinta-feira em cadeia nacional. O mercado de câmbio deve seguir volátil, porém, na abertura, o dólar pode desvalorizar ante o real, em linha com o comportamento da divisa no exterior.

Acompanhe os dados do mercado em www.slw.com.br

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal