Mercado imobiliário: crescimento das startups é tendência validada pela pandemia

Soluções tecnológicas oferecidas pelas startups facilitam processos de compra, venda e locação de imóveis e transformam o mercado imobiliário brasileiro.

Redação - 17 de fevereiro de 2022, 16:43

Geraldo Bubniak/AGB
Geraldo Bubniak/AGB

Com a pandemia do coronavírus e as medidas de restrição social e circulação de pessoas, diversos serviços anteriormente realizados pessoalmente passaram a contar com o apoio da tecnologia para não suspender as atividades. No mercado imobiliário, as startups ganharam espaço oferecendo soluções a partir da digitalização e automação dos serviços.

Considerados setores conservadores, mercado imobiliário e construção civil se renderam à tecnologia e consolidaram as construtechs, startups que atuam na construção, e as proptechs, relacionadas à compra, venda e locação imobiliária. O movimento acelerou a comunicação entre incorporadoras, construtoras, imobiliárias e clientes, durante os períodos de maior necessidade de isolamento social.

O CEO da startup curitibana Avalion, plataforma voltada para os corretores, pontua que as startups não apenas melhoraram a comunicação, mas também avançaram para a oferta de serviços alinhados com a mudança de comportamento do brasileiro sobre a moradia. 

“Essas  soluções surgiram como sempre acontece: em razão dos problemas ou das necessidades das pessoas e empresas”, afirma o CEO da Avalion, Paulo Roberto de Oliveira

Para ele, atuar em um setor conservador com uma proposta de inovação não é um problema, mas um atrativo a mais para as startups. “A pandemia, por sua vez, impulsionou as empresas a se renderem para as soluções tecnológicas, considerando as limitações que a covid-19 impôs”, completa.

A partir do uso da tecnologia, o empresário cita que o setor imobiliário se reinventou. Com o app da startup curitibana Avalion, que utiliza softwares de tour virtual nos imóveis na planta e plataformas de mapeamento da oferta de imóveis para captação e análise, a atividade dos corretores de imóveis foi adaptada à restrição dos encontros presenciais.

MERCADO IMOBILIÁRIO E O CRESCIMENTO DAS STARTUPS

De acordo com o Mapa das Construtechs e Proptechs, realizado e atualizado pela Terracotta Ventures desde 2017 , o número de startups ativas e voltadas às soluções para o mercado imobiliário no Brasil cresceu 235% nos últimos cinco anos.

O Paraná fechou 2021 na terceira posição, somando 87 das 839 apontadas pelo balanço, atrás apenas dos estados de São Paulo (339) e de Santa Catarina (95).

Na opinião de quem atua no setor, o benefício de atuar com tecnologia em um mercado antes avesso à inovação é compreender que boas ferramentas otimizam o trabalho dos profissionais da área. Para Paulo Roberto de Oliveira, o trabalho dos corretores de imóveis continuará sendo indispensável para uma atividade que envolve o diálogo com o cliente, mas as plataformas digitais podem tornar o serviço mais rápido e eficiente.

“O corretor vende um produto que é nada menos do que o sonho de uma família, ou o investimento de toda uma vida de trabalho do cliente. A tecnologia vem para auxiliar o trabalho do profissional imobiliário, complementar, acelerar, dar mais condições de produtividade”, conclui.