Mercado se recupera aos poucos após Brexit

Mariana Ohde


Após a Standard & Poor’s, a agência e classificação de risco Fitch também reduziu a nota de crédito do Reino Unido, que passou de AA+ para AA. A agência também manteve negativas as perspectivas do país. Para a Fitch, o referendo da semana passada, que indicou que a maioria dos participantes é favorável à saída do Reino Unido da União Europeia, provocará um “quadro político menos previsível, estável e eficaz”. Já segundo a Standard & Poor’s, até o quadro constitucional do Reino Unido está ameaçado, já que a Escócia quer realizar um novo plebiscito de independência, para assim permanecer na UE.

Nesta terça-feira (28), os ânimos voltam a se estabilizar e o dólar deve acompanhar o mercado externo. Saiba mais no boletim de abertura de mercado, com o superintendente regional de câmbio da SLW, João Paulo de Gracia Corrêa:

Ainda sob o efeito do BREXIT, o dólar seguiu valorizado ante as moedas fortes e emergentes ontem. As incertezas sobre os efeitos da saída do Reino Unidos da União Europeia e o rebaixamento da nota de crédito da Grã-Bretanha pela agência de risco S&P mantiveram os investidores na retaguarda evitando ativos de risco, migrando para a segurança do ouro, dólar, iene e Treasuries.

Internamente, o movimento seguiu em linha com o exterior e a moeda americana fechou em alta de 0,42%, aos R$ 3,3918.

Depois de dois dias de tensão com o BREXIT, os mercados financeiros internacionais iniciam o pregão de hoje com viés positivo e de recuperação. As principais bolsas europeias e futuros americanos operam em alta, o preço do barril de petróleo sobe e o dólar desvaloriza frente às moedas fortes e emergentes. Os agentes financeiros voltam a buscar ativos de maior risco e rentabilidade, deixando de lado a segurança da moeda americana.

Internamente, além de observar de perto o exterior, os players locais devem digerir o Relatório Trimestral de Inflação e a entrevista do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que irá detalhar o documento e pode dar algum sinal sobre a estratégia do novo BC. O dólar deve abrir em queda, acompanhando o comportamento externo da moeda. Entretanto, o ambiente ainda é vulnerável a estresses devido as incertezas que a saída dos Bretões pode causar na economia da União Europeia.

Acompanhe os dados do mercado em www.slw.com.br

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal