Com milho em alta, terminal no Porto de Paranaguá cresce 20% em 2019

O Interalli Grãos, terminal graneleiro do Grupo Interalli no Porto de Paranaguá, no Paraná, cresceu 20% em 2019 comparad..

Redação - 31 de janeiro de 2020, 13:13

Divulgação
Divulgação

O Interalli Grãos, terminal graneleiro do Grupo Interalli no Porto de Paranaguá, no Paraná, cresceu 20% em 2019 comparado a 2018. As exportações do milho também foram destaque no ano passado, fechando em 1,35 milhão após sair de 350 mil toneladas no ano anterior.

O Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá fechou 2019 com um recorde na movimentação dos granéis sólidos. Foram exportados mais de 20,23 milhões de toneladas de soja e milho, em grão e farelo. O volume alcançado supera em quase 2,4% o número de 2018 – de 19,76 milhões de toneladas.

Os números não param: Considerando o volume total movimentado no Porto de Paranaguá, o crescimento nas exportações de milho em relação ao ano anterior foi de 450%.

"Para que se tenha ideia, 25% de todo o milho movimentado no porto passou pelo terminal da Interalli Grãos”, conta Fabrício Slaviero Fumagalli, diretor do Grupo Interalli.

Já o gerente do terminal, Helder Catarino, diz que o crescimento foi potencializado pela visão de oportunidade. O Interalli Grãos se antecipou e estilou esse mercado após perceber que havia um grande estoque de passagem do milho safrinha.

“Dando condição logística para uma ou duas tradings, outras acabaram vindo junto, aproveitando as boas margens desta oportunidade de negócio. Nós fomos o estímulo para essa exportação forte de milho no primeiro semestre, o que não é comum no Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá”, avalia.

Considerando o volume total movimentado no Porto de Paranaguá, o crescimento nas exportações de milho em relação ao ano anterior foi de 450%.

EXPECTATIVA PARA 2020

As perspectivas são positivas, apesar da estimativa ser um ano mais tradicional na exportação. Os cálculos apontam um crescimento de 10% para a Interalli, com 2,3 milhões de toneladas entre soja e milho.

“O primeiro semestre deve ser concentrado na exportação de soja e o segundo semestre exportando os últimos contratos de soja e os volumes do milho safrinha, os quais prometem apresentarem números bastantes importantes e representativos para o movimento total do Porto de Paranaguá, ainda que menores que 2019", declara Catarino.

O otimismo se deve, entre outros fatores, às melhorias feitas na estrutura do terminal. “Reforçamos nosso time comercial e estamos implementando novos sistemas de gestão na área administrativa, financeira, operacional e logística”, completa Catarino.