O estranho pedido de um jornal de Curitiba para o Grupo G7

Redação

G7 recusa pedido da Gazeta

Depois de exaustiva discussão sobre os rumos do pedágio no Paraná, tema de interesse estadual, os integrantes do Grupo dos Sete (G7) que comandam o setor produtivo paranaense, formado pela Fiep, Faep, Ocepar, Fetranspar, ACP, Fecomércio e Faciap, se depararam com um tema nada comum em suas pautas: um pedido oficial para que se manifestassem a favor da empresa Editora Gazeta do Povo em relação ao episódio em que um jornalista colaborador como colunista saiu em defesa do empresário e do advogado no caso do estupro que ocorreu em Santa Catarina e teve repercussão nacional. 

 

O jornalista, que atuava em vários veículos nacionais, foi demitido dos demais, à exceção da Gazeta do Povo, que o manteve em seus quadros. Houve revolta entre os jornalistas da empresa, que também queriam sua demissão por entenderem que ele foi em defesa própria, não olhando pelo lado da vítima que teria sido literalmente massacrada durante audiência judiciária. Esta decisão da Gazeta do Povo motivou a desistência de vários assinantes e anunciantes.

 

A pauta foi derrubada. Os integrantes do G7 consideraram o pedido fora de contexto de sua atuação.

Previous ArticleNext Article