Paraná tem queda de empresários com empréstimos ou dívidas, aponta pesquisa

Redação

paraná empresário

O Paraná registou queda no número de empresários que possuem empréstimos ou dívidas em atraso de acordo com a 6ª edição da Pesquisa de Impacto da Pandemia de Coronavírus nos Pequenos Negócios, feita pelo Sebrae. Os dados foram coletados entre os dias 27 e 30 de julho, com participação de 6.056 empresários do país – 641 sendo paranaenses.

O percentual constatado é que 32% do empresariado paranaense fez algum empréstimo ou estava com dívidas em atraso. O número é 5% menor que o registrado em junho. Além disso, 32% das empresas do Estado não possuem qualquer dívida ou empréstimo.

De forma geral, esse dado reflete na análise ampla: houve uma leve melhora no cenário econômico durante a pandemia de covid-19.

A pesquisa também aponta que micro e pequenos negócios paranaenses têm demonstrado otimismo, iniciado uma recuperação e voltando a funcionar. Ao todo, 79% das empresas paranaenses estão funcionando, sendo 64% delas com mudanças devido à crise no setor.

Contudo, o levantamento do Sebrae também revelou um expressivo crescimento na proporção de empresas que buscaram empréstimos desde o início da crise. Entre a última semana de março e a última semana de julho, o percentual de pequenos negócios que buscaram crédito saltou de 30% para 54%.

No Paraná, 49% das empresas já buscaram empréstimos em julho, quarto menor percentual entre os estados. Entretanto, observa-se que esse aumento na procura não tem sido acompanhado, na mesma velocidade, pela oferta de recursos por parte do sistema financeiro.

A pesquisa mostrou que, no Brasil, 56% dos empreendedores tiveram seus pedidos de empréstimo negados e apenas 21% conseguiram acessar o dinheiro. No Paraná, os números são melhores. Das pequenas empresas do estado, 32% já conseguiram crédito (3º melhor percentual do país), enquanto 47% dos pequenos negócios foram negados.

FATURAMENTO MÉDIO DOS NEGÓCIOS TAMBÉM TEVE LIGEIRA EVOLUÇÃO, APONTA SEBRAE

Outro dado que também apresentou uma pequena melhora foi a queda de faturamento médio dos negócios. No Paraná, em junho, 87,2% das empresas tiveram redução no faturamento, e a média da perda de receitas foi de 60%. Já em julho, 79% dos negócios apresentaram perdas de, em média, 57%.

Para o presidente do Sebrae, Carlos Melles, um novo cenário começa a se desenhar com melhores expectativas para os donos de pequenos negócios.

“Não temos dúvida da relevância dos pequenos negócios para a retomada econômica do país e da força e capacidade desses empresários. A boa notícia é que já conseguimos enxergar o começo de uma recuperação, mesmo que lenta e variável entre os diferentes segmentos. O importante agora é manter esse ritmo positivo daqui para frente”, avaliou.

Previous ArticleNext Article