BRDE bateu recorde de R$ 4,1 bilhões em financiamentos em 2021

Os números indicam um aumento de 61,4% em comparação ao ano anterior, além de manter a taxa de inadimplência em 0,58% sobre a carteira.

Redação - 30 de março de 2022, 12:03

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul) bateu recorde de financiamentos em 2021. Foram R$ 4,1 bilhões em contratações em mais de sete mil operações.

Os números indicam um aumento de 61,4% em comparação ao ano anterior. “Foi um ano muito significativo para o BRDE, porque atuamos fortemente na economia dos três estados, injetando recursos que garantiram não só o desenvolvimento de grandes empresas, mas também assegurando a permanência de milhares de empreendimentos que enfrentaram a crise junto com a pandemia”, comemorou o presidente do banco, Wilson Bley Lipski.

De acordo com o vice-presidente e diretor de acompanhamento e recuperação de crédito, Marcelo Haendchen Dutra, em 2021 o BRDE manteve sua essência em promover o desenvolvimento em todas as áreas. “Prosseguimos com investimentos no agronegócio, na promoção de projetos sustentáveis e de inovação, no estímulo aos empreendimentos da mulher e do jovem e ainda mantivemos a taxa de inadimplência sob controle (atingindo 0,58% em dezembro) e aumentamos as receitas com a recuperação de créditos”, assegurou.

O BRDE fechou o período registrando com lucro líquido de R$ 266,6 milhões, montante 33,8% superior na comparação ao ano anterior. Foi o segundo melhor resultado nominal já alcançado pelo banco na série histórica, que inicia em 2001.

Além de manter a taxa de inadimplência em 0,58% sobre a carteira (entre as mais baixas de bancos de fomento do país), o BRDE fechou 2021 com novo recorde em termos de patrimônio líquido: R$ 3,4 bilhões (9,6% maior que o ano anterior).