PIB: agropecuária registra maior expansão

Mariana Ohde


O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro apresentou um crescimento de 1% na comparação entre o primeiro trimestre de 2017 e o último trimestre de 2016, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o primeiro crescimento registrado após oito quedas seguidas.

A Agropecuária foi o setor que apresentou maior expansão no período, com crescimento de 13,4%. Em relação ao mesmo período de 2016, a Agropecuária teve crescimento de 15,2%. É o melhor resultado em 20 anos. Segundo os dados do IBGE, a soja, milho, arroz e fumo respondem, juntos, por cerca de 50% do peso da agropecuária do país. Neste ano, o país registrou safra recorde de grãos, e os resultados também foram positivos no Paraná.

Agro

Em relação aos outros setores, a Indústria cresceu 0,9% e o setor de Serviços ficou estável.

Em relação ao mesmo período do ano passado, o PIB teve queda de 0,4% no primeiro trimestre de 2017, o décimo segundo resultado negativo consecutivo nesta base de comparação. Em 2015 e 2016, a atividade econômica havia registrado quedas de 3,8% e 3,6%, colocando o país em recessão.

Veja todos os indicadores

Valor Adicionado e Impostos

O Valor Adicionado a preços básicos teve variação negativa de 0,3% e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios recuaram em 0,8%. Dentre as atividades que contribuem para a geração do Valor Adicionado, a Agropecuária cresceu 15,2% em relação a igual período do ano anterior. A Indústria sofreu queda de 1,1%. O valor adicionado de Serviços caiu 1,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

PIB acumula queda de 2,3% no ano

O PIB acumulado nos quatro trimestres terminados em março de 2017 recuou 2,3% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. Esta taxa resultou da contração de 2,1% do Valor Adicionado a preços básicos e do recuo de 4,1% nos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios.

O resultado do Valor Adicionado neste tipo de comparação decorreu dos seguintes desempenhos: Agropecuária (0,3%), Indústria (-2,4%) e Serviços (-2,3%).

PIB chega a R$ 1,6 trilhão

O Produto Interno Bruto no primeiro trimestre de 2017 totalizou R$ 1,595 trilhão, sendo R$ 1,381 trilhão referentes ao Valor Adicionado a preços básicos e R$ 213,6 bilhões aos Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

A Agropecuária registrou R$ 93,4 bilhões, a Indústria R$ 291,1 bilhões e os Serviços R$ 996,4 bilhões.

Entre os componentes da despesa, a Despesa de Consumo das Famílias totalizou R$ 1,004 trilhão, a Despesa de Consumo do Governo R$ 307,6 bilhões e a Formação Bruta de Capital Fixo R$ 248,6 bilhões.

A taxa de investimento no primeiro trimestre de 2017 foi de 15,6% do PIB, abaixo do observado no mesmo período do ano anterior (16,8%), enquanto a taxa de poupança foi de 15,7%, ante 13,9% no mesmo período de 2016.

Consumo das Famílias

Pelo oitavo trimestre seguido, todos os componentes da demanda interna apresentaram resultado negativo na comparação com o mesmo período do ano anterior. No primeiro trimestre de 2017, a Despesa de Consumo das Famílias caiu 1,9%. Esse resultado pode ser explicado pelo comportamento dos indicadores de crédito e mercado de trabalho ao longo do período. A Formação Bruta de Capital Fixo sofreu contração de 3,7% no primeiro trimestre de 2017, a décima segunda consecutiva.

Exportação de Bens e Serviços

No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços apresentaram crescimento de 1,9%, enquanto que as Importações de Bens e Serviços se expandiram em 9,8% no primeiro trimestre de 2017.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="481162" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]