Pix começa a funcionar no dia 3 de novembro para clientes selecionados

Agência Brasil

A medida faz parte de uma fase de testes que vai até 15 de novembro
Pix

O BC (Banco Central) informou nesta quinta-feira (29) que as primeiras operações do Pix, sistema instantâneo de pagamentos, vão começar no dia 3 de novembro e serão restritas a clientes selecionados pelas instituições financeiras.

De acordo com o órgão, a medida faz parte de uma fase de testes que será realizada até 15 de novembro. No dia seguinte, 16 de novembro, o sistema entrará em operação para todos os usuários.

COMO FUNCIONA A FASE DE TESTES DO PIX?

Durante o período inicial, o horário de operação será restrito. As operações de pagamento e recebimento poderão ser feitas das 9h às 22h. No entanto, nos dias 5 e 12 de novembro, o horário para realização das transferências será ampliado e ocorrerá de 9h às 24h. Nos dias 6 e 13, o sistema vai funcionar de meia-noite às 22h.

Já com o Pix Cobrança, comerciantes poderão emitir um QR Code para que o consumidor faça o pagamento imediato por um produto ou serviço. Além disso, será permitido fazer cobranças em datas futuras, com atualizações de juros, multas ou descontos, como ocorre com os boletos.

O BC também definiu que as instituições financeiras que oferecerem o serviço de integração com os usuários recebedores deverão usar a interface de programação padronizada pelo órgão. A medida foi tomada para evitar que um empresário não consiga mudar sua conta para outra instituição em razão dos custos da alteração.

COMO FUNCIONA O PIX?

Você sabe como funciona o Pix? Ele é um sistema de pagamentos e transferências instantâneas, gratuito para pessoas físicas, que vai funcionar de forma parecida com as transferências DOC e TED. Porém, a novidade é que o sistema permite um acesso mais simples.

Alguns usuários tem dúvidas de como cadastrar o Pix, mas o processo é simples, segundo o BC. Os usuários do serviço podem cadastrar de uma até cinco chaves associadas a uma conta bancária. Poderão ser usados como chave o CPF, o CNPJ, o número do celular, o endereço de correio eletrônico (e-mail) ou um código de 32 dígitos gerado especificamente para o Pix (EVP)

Outra diferença do sistema tradicional é que o dinheiro passa do pagador ao recebedor de forma praticamente imediata. O sistema não tem restrições, podendo ser acessado a qualquer hora ou dia da semana. Apenas nos casos em que houver suspeita de fraude, os pagamentos ou transferências podem demorar até 30 minutos para serem verificados.

Já os valores que poderão ser transacionados pelo novo sistema vão variar de acordo com o perfil de cada cliente, do mesmo modo que com outros serviços bancários. Os limites variam de no mínimo, 50% do valor das transferências tipo TED até o valor autorizado para compras em débito.

O Pix é gratuito para transferências ou recebimento por pessoas físicas, porém, poderão ser cobradas tarifas caso o sistema seja usado como meio de recebimento para vendas de produtos ou serviços.

Previous ArticleNext Article