câmara de vereadores
Compartilhar

Prêmio Paranaense de Excelência Gráfica mostra caminho para setor espantar a crise

 O 15º  Prêmio Paranaense de Excelência Gráfica Oscar Schrappe Sobrinho, entregue no último dia 23, no Santa Mônica..

Pedro Ribeiro - 27 de junho de 2017, 12:06

 

15º  Prêmio Paranaense de Excelência Gráfica Oscar Schrappe Sobrinho, entregue no último dia 23, no Santa Mônica Clube de Campo, em Colombo, região de Curitiba, deixou muito claro os caminhos para se sobressair nestes tempos de crise econômica. As três principais vencedoras – Corgraf (12 troféus), Malires (10) e Midiograf (9) têm em comum a busca por diferenciação no mercado, e,  com isso, sinalizam crescimento que pode chegar a 20% em 2017, enquanto que a expectativa geral no setor, segundo a Abigraf Nacional (Associação Brasileira da Indústria Gráfica) é de haver decréscimo de 0,5% na produção.

O Prêmio é realizado pelo Sigep/Abigraf-PR (Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado do Paraná e Associação Brasileira da Indústria Gráfica – Abigraf Regional Paraná), com a coordenação e auditoria da ABTG (Associação Brasileira da Indústria Gráfica). Concorreram 36 empresas, que inscreveram 431 produtos em 52 categorias, que vão de cartão de visitas a embalagens.

Maior ganhadora na história do Prêmio, totalizando 134 troféus nesses 15 anos, a Corgraf, de Colombo-PR, sempre utilizou a premiação como um balizador do seu trabalho.  “Não criamos produtos para ganhar prêmio, mas o fato de sempre sermos vitoriosos aponta que o que fazemos tem qualidade e, portanto, estamos no caminho certo”, diz o diretor da empresa, André Linhares.

A qualidade, segundo ele, é um processo buscado todos os dias, em todos os departamentos da empresa. Para isso, investimento em equipamentos, em modernização da gestão e no aprimoramento técnico e pessoal dos colaboradores sempre estão nas estratégias. “Este ano, por exemplo, acabamos de investir em uma nova impressora digital com qualidade de offset para fazemos alguns tipos de produtos com baixa tiragem para os quais não tínhamos muito foco”.

Para Linhares, a Corgraf também aproveita o próprio Prêmio para mapear oportunidades de melhoria em seus processos. “Ganhamos troféus em várias categorias, porque queremos atender bem o cliente em vários tipos de produtos. Mas sempre avaliamos as categorias em que não somos premiados para vermos em que podemos melhorar”.

Com esta visão, Linhares aponta que a Corgraf deverá ter crescimento este ano. “Não quero precisar quanto, mas pelo primeiro semestre já dá para adiantar que vamos fechar o ano com crescimento real. E isso sem demissões e ainda contratando novos funcionários”.

Mudança de patamar

Em 2014, o diretor da Gráfica Malires, de Curitiba, Wagner Linhares, decidiu iniciar um processo de mudança para colocar a empresa em outro patamar. O pilar principal era melhorar a imagem no mercado. Uma das ações foi justamente participar ativamente do Prêmio de Excelência Gráfica. Naquele ano, inscreveu algumas peças, mas não obteve resultado. Em 2015 ganhou dois troféus e no passado outros três, além de um prêmio internacional. Na última sexta-feira levou 10 troféus para casa. “Os troféus sinalizam que o projeto iniciado há três anos está no caminho certo. Hoje a empresa é vista no mercado como produtora de soluções com ótima qualidade e, aos poucos, estamos avançando para o objetivo de ser, em alguns anos, a melhor gráfica de Curitiba, e depois do Paraná, em qualidade”.