Região de Curitiba está entre as três que mais contratam no País

AEN

agencia do trabalhador de curitiba

A Região Metropolitana de Curitiba gerou 25.807 vagas de emprego nos oito primeiros meses de 2019, terceiro melhor resultado do País nessa categoria, atrás apenas das grandes São Paulo (85.540) e Belo Horizonte (32.117). O índice é resultado de 333.032 admissões e 307.225 desligamentos.

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, o Paraná registrou crescimento na abertura de vagas em 53 das 60 cidades paranaenses com mais de 30 mil habitantes no mês de agosto. Nos oito meses do ano, houve crescimento em 49 dessas 60 localidades.

Além disso, o Estado tem seis cidades entre as 100 que mais empregaram no Brasil no último mês: Curitiba (5º), São José dos Pinhais (37º), Pinhais (49º), Araucária (69º), Londrina (92°) e Pato Branco (95º).

SETORES

De janeiro a agosto, os setores que mais criaram emprego na Região Metropolitana de Curitiba foram serviços (15.687 vagas), construção civil (4.078), comércio (3.174) e indústria de transformação (3.073).  Entre os subsetores os destaques são comércio e administração de imóveis e valores mobiliários, com 9.448 empregos gerados, seguido de serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação (2.331), ensino (2.014) e comércio atacadista (1.902).

JUROS 

Um estudo realizado pelo Departamento do Trabalho, da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, com base nesses dados, aponta que o subsetor de comércio e administração de imóveis e valores mobiliários empregou muito em função da redução na taxa básica de juros (Selic), anunciada na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, de 6% para 5,5%. A queda reflete a melhora da economia do País, o que fez com que os bancos baixassem suas taxas de juros em diversas áreas, entre elas a imobiliária.

ATIVIDADES

Entre as atividades que mais geraram postos de trabalho na Grande Curitiba estão serviços combinados de escritório e apoio administrativo (2.812 novos postos), teleatendimento (1.141), construção de edifícios (1.127), atividades relacionadas à organização do transporte de carga (1.086) e montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas (1.056).

Em relação ao tamanho do empreendimento, o Caged aponta que as empresas que mais criaram postos de trabalho na região foram as micro (72%) e de grande porte (32%).

CIDADES

Entre as cidades da Região Metropolitana de Curitiba, a que teve maior saldo positivo foi a Capital (17.632 novos postos), seguida por São José dos Pinhais (2.529), Pinhais (1.412), Araucária (1.120), Colombo (1.039), Fazenda Rio Grande (934), Campo Largo (516), Almirante Tamandaré (298), Campina Grande do Sul (286) e Rio Branco do Sul (270).

PARANÁ 

O Paraná teve um saldo positivo de 8.726 novas vagas formais de trabalho em agosto, chegando à marca de 49.704 empregos no acumulado do ano. O Estado liderou a criação de postos no Sul, ficando à frente de Santa Catarina (6.529) e Rio Grande do Sul (-1.988 vagas).

DADOS NACIONAIS

O Brasil manteve a curva ascendente no emprego formal pelo quinto mês seguido, segundo o Caged. Em agosto, a expansão foi de 121.387 vagas, decorrente de 1.382.407 admissões e de 1.261.020 desligamentos. O resultado equivale à variação de 0,31% em relação ao mês anterior. Foi o melhor agosto desde 2013. No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos postos, com variação positiva de 1,55%.

Previous ArticleNext Article