Restrição de venda de bebidas alcóolicas é desmentida

Pedro Ribeiro


 

 

A notícia divulgada por alguns órgãos de imprensa de que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, estaria estudando um projeto para impor limites à venda de bebidas alcóolicas em determinadas áreas e regiões do país, foi desmentida pelo futuro ministro da Cidadania, Osmar Terras.

Segundo o blog CabezaNews, editado pelo jornalista Ronildo Pimentel, o ministro desmentiu o conteúdo da notícias, esclarecendo que as prioridades são outras e que não passou de mais uma fake news. A notícia foi publicada no jornal O Globo e assinada pelos jornalistas Robson Bonin e Pedro Henrique Gomes.

O empresário do setor de bares e restaurantes, Fabio Aguayo informou ao blog de Pimentel que a Abrabar, associação que preside, tem o seguinte posicionamento sobre o projeto abordado pelo jornal. “Acreditamos que existem outras prioridades do governo Bolsonaro, do que se preocupar com nossa categoria”, disse.

“Nós estamos gerando empregos, tributos e renda”, ressaltou. Concordamos em um ponto, onde tem áreas violentas, com mapeamento geográfico de violência, tem sim que se fazer um trabalho preventivo”, concordou o presidente da Abrabar.

De acordo com Aguayo, a categoria tem uma sugestão que está sendo levada ao governador eleito Ratinho Junior. “Já fazemos, por iniciativa própria aqui no Paraná. Os locais que tenham atendimento externo, somente na rua, param de trabalhar a partir das 2h da manhã”, informou.

“Os locais que tem atendimento interno trabalham normalmente. Mas tem que se fazer um trabalho preventivo, educativo, botar o Estado em regiões que tenha violência e também em pólos turísticos, gastronômicos, também fazer um trabalho preventivo”, alertou Aguayo.

Que completou: “Não é só o problema da bebida alcoólica, o problema do Brasil é maior, são as drogas que dominaram todos os cantos e pontos das principais cidades e também dos rincões do nosso país”.

 

Previous ArticleNext Article