Saída de ministros revela instabilidade e preocupa mercado

Mariana Ohde


Após a divulgação de gravações de conversas entre o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, e políticos importantes – muitas delas dando a entender a intenção de intervir nas investigações da Operação Lava Jato – dois ministros do governo do presidente interino Michel Temer já se afastaram dos cargos – Fabiano Silveira, da Transparência, e Romero Jucá, do Planejamento. Sérgio Machado fechou acordo de delação neste mês.

Com isso, a instabilidade na política volta a preocupar o mercado e as incertezas podem afetar a cotação do dólar nas próximas semanas. Saiba mais no boletim de abertura de mercado desta terça-feira (31), com o superintendente regional de câmbio da SLW, João Paulo de Gracia Corrêa:

O dólar abriu o pregão de ontem com viés de alta na primeira hora da sessão, com agentes digerindo as escutas divulgadas do ex-ministro da Transparência, Fabiano Silveira. Entretanto, o movimento perdeu força, já que, de acordo com alguns traders, a saída de Silveira não se compara à queda de Jucá. Com as principais praças financeiras internacionais fechadas – Nova York e Londres -, a moeda americana operou de lado durante a manhã e perdeu força durante a tarde, com os vendidos em dólar futuro dando início à formação da PTAX de final de mês.

Ao final do dia, a divisa dos Estados Unidos fechou em queda de 0,89%, cotada em R$ 3,5742.

Neste último pregão de maio, os mercados internacionais exibem pouca tração, com as principais bolsas europeias operando no negativo e os futuros americanos em leve alta. O dólar perde para a maioria das moedas emergentes de países exportadores de commodities. Entretanto, a agenda de indicadores americana é pesada e pode mudar o rumo dos negócios no exterior. Aqui, os investidores vão digerir mais uma queda de ministro do governo Temer. Duas em uma semana. O episódio revela os riscos da instabilidade política com a Lava Jato. Também no radar dos agentes, a dívida dos estados com a divulgação pelo BC do resultado primário do setor público. Além da crise política, mesmo após o impeachment da presidente Dilma, os players do mercado de câmbio devem acompanhar a disputa entre os comprados e vendidos para a formação da taxa PTAX de final de mês pela manhã. Com crise política, agenda americana vital para apostas de aumento, ou não, dos juros na próxima reunião do FED e disputa da PTAX, o dólar deve exibir muita volatilidade na última sessão do mês.

Confira os dados do mercado em www.slw.com.br

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal