Setor de franquias deve movimentar R$ 200 bi em 2022, aponta ABF

Franquias de serviços educacionais devem crescer consideravelmente. O Grupo Super Cérebro, por exmplo espera abrir mais 100 unidades até o fim do ano

Assessoria - 29 de março de 2022, 15:55

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 Empreender é o terceiro sonho dos brasileiros. E um dos modelos de negócios mais lucrativos e com menos probabilidade de quebrar é o de franquias. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), a projeção de faturamento para o setor em 2022 é de R$ 201,7 bilhões.

 No quarto trimestre de 2021, as franquias movimentaram R$ 56.663 bilhões, o que significa um crescimento de 5% se comparado ao mesmo período que em 2020.

 Dentre os diversos segmentos que podem ser franqueados, o setor educacional teve uma importante participação nos dados apresentados pela ABF, sendo responsável por gerar 1.411.319 empregos e movimentar R$ 11.479 milhões em 2021. Para 2022, as expectativas são as melhores, principalmente por conta das mudanças sofridas pela pandemia do coronavírus.

 Com 200 franquias espalhadas pelo país, um dos grupos educacionais que mais cresce no Brasil é o Super Cérebro. “A expectativa é que até o fim de 2022 tenhamos 300 franquias abertas.

 As mudanças na educação trazidas pela Covid-19 são um incentivo para os pais, que estão dispostos a investir na qualidade do ensino dos alunos. Essa é uma grande oportunidade para quem pensa em investir em franquias de serviços educacionais”, explica o CEO do Grupo, Ricardo Lamas.

 “O distanciamento foi devastador para todos, principalmente para as crianças, que foram privadas do convívio social. Sabemos como essa interação é importante para o desenvolvimento. O método Super Cérebro tem como objetivo ensinar as crianças de forma lúdica e inteligente”, garante a diretora pedagógica da organização, Vanessa Lima.

 O método Super Cérebro utiliza um instrumento de cálculo milenar, o Soroban, e jogos de tabuleiro importados de diversos países e internacionalmente premiados, para transformar o ensino dos alunos e incentivar o desenvolvimento de habilidades cognitivas e socioemocionais. 

 “Nosso método contribui para o aumento das aptidões dos alunos fortalecendo a memória, concentração, do raciocínio lógico e do cálculo mental. Além de favorecer a qualidade de vida por meio da socialização, da capacidade criativa para resolução de problemas, de inteligência emocional e do incentivo à cooperação e trabalho em equipe”, afirma Vanessa.

Franquias educacionais

 Segundo o relatório da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2021, divulgado pelo Sebrae, 43% dos brasileiros desejam empreender. Os principais motivadores são as mudanças trazidas para o mercado de trabalho por conta da pandemia.

 Mesmo com mais de 75% dos brasileiros vacinados com a primeira e a segunda doses, essas mudanças, como o home office e o empreendedorismo por necessidade, vieram para ficar.

 O modelo de franquias já vem com a credibilidade de um nome conhecido, do apoio do franqueador, com a existência de um plano de negócios, entre outros. “Para quem deseja abrir o próprio negócio com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de pessoas, as franquias educacionais são sólidas e têm boas perspectivas de crescimento”, afirma Ricardo. 

 O Super Cérebro, por exemplo, é um método destinado para crianças, jovens, adultos, pessoas da terceira idade e que também pode ser aplicado no ambiente corporativo. O investimento na franquia é de R$ 65.740, e os franqueados passam por um treinamento de 15 dias, além de contarem com a assistência de marketing, acesso ao material didático e apoio na hora de implantar o método.

 “O investimento na qualidade da educação dos filhos é prioridade para 80% dos pais. A educação é dinâmica e vem crescendo consideravelmente. Por isso as franquias educacionais têm bons resultados.

 No caso do Super Cérebro, o investimento é acessível e tudo que o franqueado precisa é de um espaço adequado para aplicação do método, podendo ser esse espaço em parceria com instituições de ensino, escolas de idiomas, universidades, empresas, clubes, academias, condomínios, polos de educação a distância, lares de longa permanência, entre outros”, finaliza Lamas.