Eleições 2020
Compartilhar

Candidato a prefeito é suspeito de comprar votos em troca de combustível, no Paraná

Dez pessoas suspeitas de comprar votos em Renascença, na região sudoeste do Paraná, foram denunciadas nesta sexta-feira ..

Redação - 14 de novembro de 2020, 11:14

Divulgação/MPPR
Divulgação/MPPR

Dez pessoas suspeitas de comprar votos em Renascença, na região sudoeste do Paraná, foram denunciadas nesta sexta-feira (13), pelo MPPR (Ministério Público do Paraná).

Entre os denunciados, estão um candidato a prefeito e duas candidatas ao cargo de vereador nas eleições 2020 do Paraná. Além disso, empresários e eleitores também estão envolvidos no esquema de compra de votos.

Segundo as investigações, a prática ilegal era realizada mediante o fornecimento de combustível a eleitores, que recebiam vales para serem trocados num posto de gasolina.

Conforme o MPRP, a compra de votos em troca de combustível configura crime de corrupção eleitoral, com pena de até quatro anos de prisão e multa.

Pelos mesmos fatos, além de oferecer a denúncia, o Ministério Público Eleitoral ajuizou ação de investigação judicial eleitoral contra os candidatos.

A medida foi adotada porque as condutas investigadas, além de configurarem prática de crime eleitoral, caracterizam captação ilícita de sufrágio e abuso do poder econômico.

DONO DE POSTO RENASCENÇA E CLIENTE SÃO PRESOS EM ESQUEMA DE COMPRA DE VOTOS

No último sábado (7), o dono de um posto de combustível de Renascença e um cliente foram presos durante as investigações do esquema de compra de votos.

De acordo com O MPPR, no dia, o cliente entregou dois vales-combustível de 10 litros de gasolina cada. Já o dono do local, foi preso porque estava com uma arma de fogo e munição sem autorização.

Os nomes dos investigados não foram divulgados pelo MPPR.