Candidato a prefeito é suspeito de comprar votos em troca de combustível, no Paraná

Redação

Dez pessoas são denunciadas por compra de votos em Renascença

Dez pessoas suspeitas de comprar votos em Renascença, na região sudoeste do Paraná, foram denunciadas nesta sexta-feira (13), pelo MPPR (Ministério Público do Paraná).

Entre os denunciados, estão um candidato a prefeito e duas candidatas ao cargo de vereador nas eleições 2020 do Paraná. Além disso, empresários e eleitores também estão envolvidos no esquema de compra de votos.

Segundo as investigações, a prática ilegal era realizada mediante o fornecimento de combustível a eleitores, que recebiam vales para serem trocados num posto de gasolina.

Conforme o MPRP, a compra de votos em troca de combustível configura crime de corrupção eleitoral, com pena de até quatro anos de prisão e multa.

Pelos mesmos fatos, além de oferecer a denúncia, o Ministério Público Eleitoral ajuizou ação de investigação judicial eleitoral contra os candidatos.

A medida foi adotada porque as condutas investigadas, além de configurarem prática de crime eleitoral, caracterizam captação ilícita de sufrágio e abuso do poder econômico.

DONO DE POSTO RENASCENÇA E CLIENTE SÃO PRESOS EM ESQUEMA DE COMPRA DE VOTOS

No último sábado (7), o dono de um posto de combustível de Renascença e um cliente foram presos durante as investigações do esquema de compra de votos.

De acordo com O MPPR, no dia, o cliente entregou dois vales-combustível de 10 litros de gasolina cada. Já o dono do local, foi preso porque estava com uma arma de fogo e munição sem autorização.

Os nomes dos investigados não foram divulgados pelo MPPR.

Previous ArticleNext Article