Eleições 2020: Veja o que Goura pretende fazer se for eleito prefeito de Curitiba

Redação

goura, candidato, prefeito, curitiba, candidatos prefeitura curitiba, candidatos a prefeito de curitiba, eleições, eleição, eleições 2020

Goura é candidato a prefeito de Curitiba pelo PDT (Partido Democrático Trabalhista) nas Eleições 2020. Ao Paraná Portal, ele falou sobre o que pretende fazer caso seja eleito, abordou suas principais propostas e como pretende agir durante o pós-pandemia.

1. Por que o senhor acredita que deve assumir a Prefeitura de Curitiba?

Goura: Defendemos um projeto de cidade baseado na participação com envolvimento de todos os setores sociais que podem contribuir com a Prefeitura. Também estamos pensando uma Curitiba conectada com os 29 municípios da região metropolitana, pois não faz sentido pensar Curitiba sem essas conexões. Curitiba e região precisam de políticas integradas na habitação mobilidade abastecimento da geração de emprego e de renda.

Pensamos sim uma grande Curitiba que não pode pensar pequeno e, por fim, entendemos que Curitiba precisar caminhar rumo ao desenvolvimento sustentável para promover a redução das desigualdades sociais, que ainda são muito gritantes e também a preservação do meio ambiente na questão da biodiversidade, na recuperação dos rios. Creio que temos nesta campanha uma caminhada para uma gestão qualificada e sensível que a nossa cidade precisa.

2. Quais são os principais desafios que o senhor deverá enfrentar no caso de ser eleito?

Goura: Temos há décadas uma gestão envolvida com a falta de transparência com contratos milionários, como a OS que presta serviços na área de de tecnologia da informação, tudo com pouca transparência ao conjunto da sociedade. Também temos a falta de transparência na gestão do transporte coletivo. Precisamos de um transporte coletivo que sirva aos interesses da população, na função social do direito à cidade do que aos lucros de uns poucos empresários. Precisamos enfrentar com coragem transparência e rigor a questão do lixo.

Enfim, temos uma série de situações que há décadas Curitiba está comprometida e que teremos de enfrentar. Vamos ter essa caixa aberta da Prefeitura, a partir dos princípios que nós julgamos que sejam da administração pública, da Constituição, buscando a economia dos recursos públicos, com a transparência absoluta dos gastos. Acho que há bastante tempo convivemos com uma situação de pouca participação, de pouco estímulo à cidadania, de pouca valorização dos conselhos municipais, e nós pretendemos trazer de novo uma noção de democracia, participação e transparência, que são condições essenciais para uma boa gestão pública.

3. Destaque suas principais propostas para resolver os problemas que o senhor acredita que a cidade possui?

Goura: Logo nos primeiros meses precisamos proporcionar uma retomada econômica da nossa cidade, fortalecendo o comércio local, a descentralização da cultura, além de apoiar a economia criativa e solidária, gerando emprego e renda em todos os bairros da cidade. Precisamos dar oportunidades aos jovens para que possam empreender, gerar renda e tenham condições de serem capacitados nesse sentido.

Outro ponto importante é a valorização do servidor público. Vamos restabelecer o diálogo construtivo e participativo com o conjunto do funcionalismo público e uma melhoria dos serviços que são prestados à população.

Também queremos logo no início da gestão fazer uma grande conferência da habitação, para garantir investimentos nesse setor e tratar a habitação como central para o urbanismo, a partir do qual a gente vai discutir a mobilidade  e outras questões urbanísticas importantes.

Temos que assumir o papel de uma metrópole inovadora, estendendo suas conexões também com o litoral e os Campos Gerais, com parcerias com universidades e outras cidades do mundo afora.

4. Como o senhor pretende trabalhar junto aos governos estadual e federal na administração da cidade?

Goura: Vamos buscar um diálogo construtivo tendo em vista a melhoria da qualidade de vida da nossa população, buscando enfrentar esses enormes desafios sociais e ambientais que nós temos pela frente. Estamos falando de um momento de mudanças climáticas que já chegaram à nossa cidade, com a crise hídrica.

Precisamos avançar na ideia de uma cidade resiliente. Para isso a gente precisar ter investimentos por parte de todas as esferas do poder público, federal, estadual e municipal, para a melhoria dos serviços prestados à população, com a busca de uma cidade mais autônoma, mais independente, que tem esse caráter metropolitano, e que dê conta de prover qualidade de vida para 3 milhões de pessoas que vivem na região metropolitana.

5. O que o senhor fará para gerar empregos e renda já que os próximos anos deverão ser difíceis devido aos impactos da pandemia?

Goura: O maior impacto da pandemia aconteceu justamente na prestação de serviços. Foram perdidos mais de 40 mil postos de trabalho. Pretendemos fortalecer a economia dos bairros, estimulando os empreendedorismos, os pequenos e micro empresários. Queremos ainda fortalecer toda a rede de economia solidária que já existe há muito tempo em Curitiba, mas que precisa de mais apoio da Prefeitura para que possa estar presente em todos os bairros da cidade. Queremos fortalecer igualmente a economia criativa das feiras, dos artesãos, das feiras independentes que ocorrem na cidade. É preciso fortalecer a agricultura urbana e a agroecologia conectada com a região metropolitana.

Vou trabalhar para apoiar a economia cultural que, com certeza, terá um papel importante nessa retomada. Por fim, o turismo dentro de Curitiba, estimulando que os curitibanos conheçam sua própria cidade. Vamos criar um circuito integrado de cicloturismo dentro de Curitiba conectando os 33 parques e também a região metropolitana. São tendências que já estão acontecendo mundo afora e com reconhecimento no cenário pós-pandemia, em que o cicloturismo, o turismo de natureza vão ter um papel preponderante de retomada econômica.

Precisamos de uma Curitiba verde, que invista em indústrias limpas, numa economia limpa, numa economia limpa de alto valor agregado nas áreas da pesquisa, da tecnologia, saúde. Vamos fazer todos os esforços para que essas áreas econômicas tenham todo o apoio por parte da Prefeitura. Que a Prefeitura, acima de tudo, pense nos pequenos e ajude, e não seja um fator de dificuldade para as pessoas, mas seja um facilitador. A Prefeitura tem que estar presente para ajudar as pessoas e não para atrapalhar.

Para acompanhar o candidato, siga ele no Facebook e no Instagram.

Previous ArticleNext Article