Pelé participa de campanha de incentivo ao esporte no Paraná

Simone Giacometti

Muitos fãs com camisas da seleção brasileira nas mãos, livros e cadernos, dispostos a conseguir um autógrafo aguardavam ansiosos a chegada de Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, no Palácio Iguaçu, em Curitiba.

Pelé chegou à cerimônia com duas horas e meia de atraso e cercado por seguranças. Quem esperava por um autógrafo, acabou tendo que se contentar com um foto a distância.  Atletas estudantes do Colégio Estadual do Paraná fizeram fila para ver o ídolo. Entre as alunas, estavam Maria Eduarda Prado, de 15 anos e Maísa Vaz, de 16 anos, que vieram acompanhadas pelas coordenadoras da turma.  Mesmo tendo que ficar na ponta do pé para conseguir registrar o momento, Maísa comemorou. “Já valeu a pena. Ver um ídolo do esporte como ele, pra gente que também é atleta, é um incentivo”. Ela e a amiga jogam volei. Maria Eduarda também ficou feliz. “Ele é o Pelé, o maior jogador de todos os tempos”.

Maísa e Maria Eduarda jogam volei

O ex-jogador participou nesta quarta-feira (13) do lançamento do Programa Estadual de Fomento e Incentivo ao Esporte – Proesporte- que prevê o repasse financeiro por meio de doações que podem ser abatidas no imposto de renda.  A campanha Imposto Amigo tem amparo na Lei Federal nº11.438/06 de Incentivo ao Esporte, que permite a doação de até 6% do imposto de renda devido para pessoas físicas e 1% para pessoas jurídicas.  A destinação da pessoa física é realizada até dezembro e a de pessoa jurídica a cada apuração, geralmente a cada trimestre.   O valor destinado pode ser abatido do valor devido ou somado à restituição.

O governador Carlos Massa Ratinho Júnior falou sobre a expectativa de arrecadar R$ 8 milhões de reais com o programa.  Segundo ele, a educação será uma forte aliada para melhorar a vida das pessoas, a exemplo do que aconteceu na vida de Pelé.  “O objetivo é incentivar o contraturno escolar, fazer com que os nossos jovens possam praticar esporte e ter uma vida saudável, longe das drogas, que estejam próximos da escola e de práticas que fazem bem para sua vida”, disse.


A metodologia utilizada será a mesma do Programa Esportivo Lúdico Educacional – P.E.L.E – criado pelo atleta e já colocado em prática em vários estados brasileiros.  Antes de falar sobre o início desse trabalho voltado às crianças e adolescentes, Pelé fez um agradecimento. “Eu quero agradecer a todas as mensagens de solidariedade que recebi pra que eu me recuperasse. Como todos sabem eu fiz duas cirurgias no fêmur e estou em recuperação. Se Deus quiser em uma ou duas semanas eu tô no campo”, brincou ele.

Sobre a ideia de criar um programa esportivo, Pelé contou que tudo nasceu depois de um treino do Santos, na Vila Belmiro. “Parece brincadeira, mas começou assim…nós estávamos no Santos e na saída de um treino na Vila Belmiro, tinha uns carros parados na rua do outro lado.  Eu saí mais cedo e passei ali pelo estacionamento. Quando olhei, tinha uns garotos tentando roubar os carros. O meu estava lá e eu gritei: O que é isso rapaz? Um deles saiu correndo e o outro falou pra mim: Nós só estamos roubando do pessoal do São Paulo! Nós não estamos roubando carro do pessoal do Santos”. Pelé diz que apesar de ter sido “poupado” respondeu ao garoto que ele estava errado.  Naquele dia, decidiu que faria algo para mudar aquela realidade.

“Por coincidência estava tudo organizado naquela semana para  jogo no Maracanã, quando eu fiz o milésimo gol.  A primeira coisa que me veio na cabeça foi aquela garotada roubando. Por isso que hoje temos o programa para proteger as crianças e tirá-las da marginalidade. É uma luta grande, mas vamos vencer se Deus quiser”, finalizou.

A íntegra da Lei de Incentivo ao Esporte e detalhes sobre as formas de doar e patrocinar um atleta podem ser encontradas no site do Ministério do Esporte. 

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook