Time do Paraná é suspeito de armar “jogo fantasma” durante pandemia, mostra Fantástico

Redação

andraus paraná jogo fantasma serrano

O Andraus Brasil, clube de futebol profissional de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, é suspeito de organizar um “jogo fantasma” contra o Serrano, da Paraíba, durante a pandemia do coronavírus. Os indícios foram levantados pelo Fantástico, da Rede Globo, neste domingo (17).

Conforme a reportagem, um suposto amistoso, no dia 25 de março entre os clubes movimentou R$ 10 milhões em apostas presentes em mais de 200 sites na internet. Contudo, não há provas que o jogo aconteceu e, nesta data, os jogos de futebol no Paraná já estavam proibidos devido à Covid-19.

Matias Mendes, especialista de uma agência responsável por monitorar site de apostas, confirmou as suspeitas. Para ele, o jogo existiu “no site de apostas”, mas não há nenhuma cobertura, informação e nenhum registro nas redes sociais da existência da partida. De quebra, ainda afirmou que os números e resultados da partida “não são lógicos”.

O presidente e dono do clube paranaense, Nadim Andraus, não falou ao Fantástico, mas o clube foi representado pelo advogado Marlus Dalledone. Segundo ele, o amistoso existiu para que o Andraus pudesse observar jogadores do Serrano.

Assim como o presidente do Andraus, o mandatário do Serrrano também não quis se manifestar e indicou um advogado. Ouvido pelo Fantástico, Lucas Bezerra disse que nenhum jogador do Serrano viajou ao Paraná para a partida. Ou seja, o Serrano atuou com atletas que não são seus. De acordo com ele, foram selecionados jogadores no próprio Paraná para realizar jogos-treino.

Por fim, Hélio Cury e Michelle Ramalho, presidentes das Federações Paranaense e Paraibana de Futebol, foram surpreendidos com a informação e disseram que vão abrir processo administrativo para investigar o possível crime de estelionato.

ANDRAUS JÁ FOI INVESTIGADO

O empresário Nadim Andraus, dono do Andraus Brasil, já foi candidato a presidente do Athletico Paranaense e já foi mostrado em outra reportagem da Rede Globo.

Em 2018, o Esporte Espetacular mostrou que Nadim era suspeito de manipulação de resultados com apostas feitas contra o próprio clube. Na época, ele negou os fatos e disse que era perseguido.

Além disso, Nadim também é conhecido por ter sido suspenso por 660 dias, com multa de cerca de R$ 60 mil, pelo TJD-PR (Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná). Na ocasião, os magistrados o condenaram por agredir o árbitro Luís Marcelo Casagrande na partida entre Andraus e Maringá, válida pela Taça FPF.

Previous ArticleNext Article