Anvisa pede que quatro jogadores da Argentina deixem o Brasil por risco sanitário grave

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitou à Polícia Federal que os jogadores Emiliano Martínez, Emil..

Pedro Melo - 05 de setembro de 2021, 14:02

(Reprodução/Twitter/Copa América)
(Reprodução/Twitter/Copa América)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitou à Polícia Federal que os jogadores Emiliano Martínez, Emiliano Buendía, Cristian Romero e Giovani Lo Celso, da Argentina, deixem o Brasil imediatamente. Essa foi a primeira manifestação oficial desde a entrada dos argentinos no país para a partida contra a seleção brasileira, neste domingo (05), às 16h, em São Paulo.

Os quatro jogadores atuam na Inglaterra: Martínez e Buendía no Aston Villa e Lo Celso e Romero no Tottenham. Segundo portaria da Casa Civil, pessoas que estiveram no Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia nos últimos 14 dias não podem entrar no Brasil.

De acordo com a nota da Anvisa, o quarteto da Argentina declarou que não esteve na Inglaterra nos últimos 14 dias. Os jogadores saíram de Londres para servir à seleção argentina na rodada da tripla das Eliminatórias. Eles ainda estiveram com a delegação na Venezuela antes da viagem para São Paulo.

"Notícias não oficiais chegaram à Anvisa dando conta de supostas declarações falsas prestadas por tais viajantes", diz a Anvisa.

O órgão ainda considera "descumprimento" da portaria e "risco sanitário grave". "A Anvisa considera a situação risco sanitário grave, e por isso orientou às autoridades em saúde locais a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro".

A Conmebol e a seleção argentina ainda aguardam por uma autorização especial da Casa Civil para a liberação dos jogadores. O pedido aconteceu na noite de sábado (04).

BRASIL E ARGENTINA SE ENFRENTAM NESTE DOMINGO

A seleção brasileira enfrenta a Argentina neste domingo, às 16h, na Neo Química Arena, em São Paulo. O jogo deveria ter acontecido em março, mas foi adiado por conta da pandemia da Covid-19.